O senador Delcídio Amaral (PT-MS) usou a tribuna do plenário do Senado para se defender das acusações de que o empresário Zuleido Veras teria pago o aluguel de um jatinho em abril passado. Delcídio afirmou, em discurso, que não sabia que seu amigo Luiz Gonzaga Salomon recorreu ao empreiteiro Zuleido Veras para pagar o fretamento de R$ 24 mil do avião que usou em 4 de abril para ir ao enterro de seu sogro em Barretos, São Paulo.

Em seu pronunciamento, Delcídio considerou "estranho" que apenas seu nome tenha vazado até agora da lista encontrada pela Polícia Federal na construtora Gautama. "Não vão me pegar. Sei o que faço e os compromissos que tenho com a ética", disse ele. Delcídio apresentou na tribuna documentos que, segundo ele, comprovam que não fez nenhuma emenda ao orçamento para a construtora Gautama e nem recebeu dinheiro da empreiteira para nenhuma de suas campanhas. O senador defendeu também a abertura de uma CPI para investigar as operações da Gautama.