O presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou hoje que seu governo tomará a "decisão final" sobre o caos nos aeroportos brasileiros na próxima terça-feira. Pouco antes de embarcar para Camp David para seu encontro oficial com o presidente George W. Bush, Lula confirmou que desautorizou a prisão dos controladores de vôo amotinados ontem por não contar com um "banco de reservas". Também disparou elogios ao comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito, a quem isentou de qualquer responsabilidade pelo episódio.

Conforme justificou o presidente, o momento não permite "radicalização" nem "decisões drásticas" de nenhum dos lados do impasse. "Você só pode tomar uma decisão drástica se você tem uma equipe de substitutos. Ou seja, nós estamos vivendo uma situação de anomalia.

O presidente retornará de Washington e pousará na manhã de amanhã em São Paulo com a perspectiva de que os vôos estejam normalizados em todo o País. Lula prometeu conversar na segunda-feira, em Brasília, com o ministro da Defesa, Valdir Pires, o brigadeiro Juniti Saito, e o vice-presidente, José Alencar, para "encontrar uma solução". "Na terça-feira, vamos tomar a decisão final", declarou.

Lula qualificou as recorrentes paralisações do transporte aéreo nacional como "um agravado problema de gestão" e um "problema estrutural". Por fim, deixou claro que considerou "importante" atender as reivindicações apresentadas pelos controladores e iniciar a reestruturação do setor aéreo.