A Câmara Municipal de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, aprovou o aumento de salários dos vereadores da cidade. Por seis votos a quatro, a medida foi aprovada nessa terça-feira (10) em segunda votação. Assim, os rendimentos dos parlamentares da cidade passam de R$ 5,9 mil para R$ 9,5 mil.

Na última semana, a Tribuna mostrou a história de Aparecido da Reciclagem (PDT), ex-carrinheiro que chamou de vergonhoso o aumento do próprio vencimento. Junto dele, Elias (PPS), Tatiana Nogueira (PSDB) e Fabio Alceu (PSB) recuaram e foram contra a aprovação.

A favor foram os vereadores Celso Nicácio (PSL), Claudinho do Açougue (PPS), Fabio Pedroso (PRP), Germaninho Krzyzanowski (PR), Lucia de Lima (PMDB) e Xandão (PSL). A presidente da casa, Amanda Nassar (PMN), não votou.

Vereador Aparecido da Reciclagem (PDT) Aparecido foi o único vereador de Araucária a votar contra o aumento de salário na primeira votação. Foto: André Rodrigues/Tribuna do Paraná

As vereadoras Amanda Nassar e Tatiana Nogueira, inclusive, tem um projeto que pretende fazer com que os salários dos vereadores seja o equivalente a um salário mínimo. No entanto, a proposta não entrou em discussão na casa.

Bate boca

O ponto mais quente da sessão foi quando Pedroso criticou Elias, que era favorável ao aumento e, hoje, votou contra. “Vazou um áudio em que o senhor pedia para que o aumento fosse conquistado. Acredito que o falso moralismo e a hipocrisia não combinam com essa casa”, disse o primeiro.

Elias reconheceu a posição anterior e disse que reconheceu o ‘erro’. “Entendo sua indignação, mas somos humanos e passíveis de erros. Eu vim para servir, não para ser servido. Esse aumento é um pouco exorbitante”, rebateu.