Três homens foram assassinados durante a madrugada de ontem, no município de Campo Largo. Um deles, identificado como Luís Fernando Ribeiro Moro, 19 anos, foi encontrado por volta das 6h, no bairro São Caetano, enquanto as outras duas vítimas foram executadas na localidade de Bateias. A polícia suspeita que os crimes estão relacionados e foram praticados pelas mesmas pessoas.

De acordo com o investigador Gogola, da delegacia de Campo Largo, Luís Fernando foi assassinado primeiro, embora seu corpo tenha sido encontrado depois. Ele estava caído na Rua Dom Rodrigo, próximo à BR-277, no limite com Balsa Nova.

Francisco Fontana, morador da região, contou ter ouvido o som de música alta, gritos e barulho de tiros na madrugada de ontem. Pela manhã, uma moradora saiu para trabalhar e encontrou o corpo de Luís, tombado na rua ao lado de uma boate desativada, e acionou a polícia.

O filho de Francisco também avistou o cadáver quando passou de motocicleta a caminho do serviço. “Eu conheci o pai de Luís. Nós jogamos bola juntos”, comentou Francisco.

A vítima estava sem documentos e foi identificada por uma prima que compareceu ao local do crime, conforme informou o soldado Valdinei, do 17.º Batalhão da PM.

Segundo o policial, Luís tinha passagem pela polícia por roubo. “Apuramos que ele estava envolvido com drogas e estava sendo ameaçado por traficantes, por conta de uma dívida de R$ 25”, informou o investigador Gogola.

Junto ao corpo, a perícia do Instituto de Criminalística encontrou uma máscara de borracha com cara de cachorro além de duas cápsulas calibre 45. O soldado disse que o fato de Luís ter passagem pela polícia e estar com a máscara leva a crer que ele pode ter sido morto por conta de um desacerto entre comparsas. “Eles podem ter saído para cometer assalto e se desentenderam”, comentou o soldado.

Outro

A polícia suspeita que as mesmas pessoas que mataram Luís, assassinaram também outros dois rapazes, por volta das 2h30, na Estrada da Fazendinha, em Bateias.

“Provavelmente as três vítimas estavam dominadas pelos criminosos, dentro de um veículo. Primeiro eles mataram o Luís, depois levaram os dois para serem executados em outra região. Refizemos o trajeto deles e calculamos que, durante a madrugada, eles não levariam mais do que cinco minutos de um ponto ao outro”, explicou Gogola. As duas vítimas, com idades entre 20 e 25 anos, permanecem sem identificação.

De acordo com o investigador, o que liga os dois casos é o calibre da arma usado para matar as vítimas e a forma como aconteceram. “Os três foram mortos com tiros na cabeça, disparados de pistola calibre 45”, disse Gogola.

Testemunhas viram um carro preto, com os faróis apagados, saindo do local em alta velocidade. A polícia já tem suspeita de quem possa estar por trás do triplo homicídio.