De sua casa, um homem testemunhou Cristiano Melo, o “Catatau”, 39 anos, ser assassinado com dois tiros, ao volante de sua Parati, pouco antes das 19h30 de ontem. O morador da Rua Domingos Cordeiro, bairro Nossa Senhora Aparecida, em Campo Largo, viu também os dois bandidos caminharem até encontrar a vítima. De acordo com a testemunha, dois rapazes desceram a rua a pé e, quando cruzaram com a Parati, no fim da descida, começaram a discussão.

“Mal começaram a se xingar, os tiros já aconteceram. Em seguida os dois subiram a rua, cerca de 200 metros, e o atirador escondeu a arma em um matagal. Depois disso, desceu sozinho até o veículo, mexeu em alguns objetos e só então fugiu”, contou a testemunha. O assassino foi descrito como jovem, moreno claro, vestindo camiseta azul e bermuda preta. O comparsa trajava moletom com capuz.

Os tiros partiram de fora para dentro do carro e destruíram a janela do carona. Ao lado do corpo, havia um facão. “Ele não tinha passagens pela polícia e aparentemente não era envolvido com crimes ou drogas”, disse o sargento Eustáquio, do 17.º BPM.

Susto

Os familiares da vítima ficaram perplexos. Segundo o irmão e a cunhada de Cristiano, ele não estava sendo ameaçado. O carro estaria voltado à direção contrária da casa de Cristiano. Ele trabalhava na construção civil com o pai e morava na região há muitos anos.

Ele tinha três filhos de 18 a 22 anos. A esposa atual estava esperando o primeiro filho do casal, uma menina que está com o parto marcado para o próximo domingo, Dia dos Pais. Após receber a notícia, a mulher precisou ser levada à um pronto-socorro para ser medicada.

Paraná Online no Google Plus

Paraná Online no Facebook