Rodrigo Anderson Rivolli de Paula, 28 anos, foi assassinado a tiros na noite de ontem, em Fazenda Rio Grande. O crime foi na Travessa Rio Ribeira, bairro Iguaçu, na entrada de uma residência que, segundo policiais e moradores locais, já foi cenário de outros dois homicídios neste ano. O local onde ficou caído o corpo de Rodrigo, foi exatamente o mesmo onde o corpo de outra vítima ficou estendido.

Segundo apurou o delegado Maurício Souza da Luz, Rodrigo era viciado e sua morte pode ter base em alguma dívida de drogas. Um investigador contou que o rapaz estava sentado na calçada em frente à casa, fumando crack com dois ou três amigos, quando um homem chegou de bicicleta e deu tiros em Rodrigo.

Cinco ou seis disparos foram ouvidos na vizinhança. A vítima morreu na hora, com o cachimbo de crack caído aos pés. Na casa em frente, os moradores afirmaram que já estavam recolhidos e não viram nada do crime.

Dominado

Ainda de acordo com o investigador, a Travessa Rio Ribeira foi tomada pelo tráfico de drogas. Há algumas semanas, a Polícia Civil prendeu uma mulher, suspeita de ser a responsável pela venda de entorpecentes na rua, e as coisas se acalmaram por algum tempo.

Mas ao que tudo indica, o tráfico voltou a funcionar forte na rua e fez mais uma vítima. Rodrigo, contou o policial, costumava passar as tardes sentado no degrau da calçada onde foi morto, fumando crack com os amigos.