Na madrugada desta segunda-feira (13), a capital paranaense registrou -1,3ºC, número que não era visto nos termômetros do Simepar há 19 anos, desde a criação do instituto. O frio continua e a baixa temperatura fez com que os abrigos da Fundação de Ação Social (FAS) registrassem aumento na procura.

As equipes de Abordagem Social, que atuam na Operação Inverno para o atendimento à população em situação de rua, registraram recorde na madrugada desta segunda-feira. Foram 92 atendimentos prestados pelas equipes das 19h de domingo (12) às 7h de ontem.

Desde o início da Operação Inverno, no último dia 1º, esse foi o maior número de atendimentos para o período. Além do recorde no número de solicitações atendidas, a madrugada teve também o maior número de pessoas que aceitaram o encaminhamento a uma das 18 unidades de atendimento à população em situação de rua (10 oficiais e 8 conveniadas): foram 83 homens encaminhados e três mulheres.

Nos casos em que as pessoas negaram o encaminhamento, assim como outros pontos já conhecidos e onde há mais resistência ao atendimento, as pessoas foram acompanhadas durante toda a madrugada. Conforme informou a FAS, para garantir a proteção dessas pessoas, as equipes também ficam em contato direto com funcionários da Secretaria Municipal da Saúde, que ajudam na verificação dos primeiros sinais de hipotermia.

Abrigo quentinho

Nas unidades de acolhimento, além do abrigo quentinho, as pessoas em situação de rua podem fazer a higiene pessoal, troca de roupa, alimentação e pernoite (caso a pessoa queira continuar em atendimento no dia seguinte, as equipes da Assistência Social estão prontas para isso). Ao serem abordadas na rua e aceitarem o encaminhamento, as pessoas vão direto ao local onde tenha vaga. Caso a própria pessoa procure um abrigo e este local já tenha atingido a capacidade máxima, a FAS encaminha a pessoa à outra unidade.

Ao todo, são 1.317 vagas de acolhimento para a Operação Inverno e, segundo a FAS, esse número ainda não atingiu o limite. Até ontem, quando foi o maior registro de frio, os abrigos tiveram aproximadamente 90% de suas capacidades atingidas, mas a FAS está preparada para emergências. Outros três espaços podem ser abertos caso a capacidade máxima seja atingida, o que geraria mais 300 vagas. Numa situação ainda mais crítica, existem ainda outros dois espaços que podem ser abertos.

Qualquer pessoa pode ajudar ligando para a Central 156 em casos onde sejam identificados risco à vida humana nas ruas da cidade. Além disso, quem quiser participar com doações de roupas, agasalhos e cobertores pode procurar um dos pontos de coleta da campanha Doe Calor. Os endereços estão disponíveis no www.doecalor.com.br, onde também é possível conhecer outras maneiras de ajudar.