Um suspeito de pedofilia foi preso ontem, pela Polícia Civil em Campo Largo. Rodrigo Daniel Garcia, que trabalha no setor de manutenção de uma empresa, teria acariciado os órgãos genitais de um garoto, de 15 anos. No computador dele foram encontradas imagens de crianças nuas e em ato libidinoso, baixadas da internet, e no celular filmagens de crianças feitas na rua e em igrejas.

Rodrigo alegou sofrer de problemas psicológicos. “Fui abusado por garotos mais velhos, dos 8 aos 13 anos. Por isso sofro desta doença”. Ele permanece detido numa cela separada, para não ser agredido por outros presos. O computador, os celulares e um vibrador foram encaminhados para perícia.

Carro

Na terça-feira, Rodrigo pegou um carro emprestado e levou o adolescente para um local afastado, onde cometeu o abuso. O garoto se esquivou e entrou em pânico, conforme relatou à polícia. Rodrigo fugiu foi detido na Praça Floriano Peixoto, em frente à Catedral.

A polícia havia sido procurada pelos pais da vítima. “Durante o depoimento, o adolescente chorava muito. Ele nos contou que Rodrigo se aproximou como amigo, prometendo emprego e um celular. Depois de ganhar a confiança da família, conseguiu ficar a sós com o adolescente”, descreveu o superintendente da delegacia local, Juscelino Bayer.

Imagens

Depois da prisão, a polícia foi até a casa do suspeito e descobriu provas de pedofilia, no computador. Em dois celulares, havia filmagens de crianças, feitas em igrejas e na rua. “Provavelmente as usava para marcar os rostos de futuras vítimas. Além disso, guardava uma lista de nomes e outras informações, sobre menores da cidade”, disse o superintendente.

Em 2009, Rodrigo foi preso pela Polícia Federal, com material de pedofilia no computador. Ficou um mês preso e foi posto em liberdade. Por causa deste antecedente, a polícia acredita que possam existir mais vítimas.