Administrador por formação e com sete especializações divididas entre as áreas de gestão pública e saúde pública. Este é Helder Lazarotto, 59 anos, prefeito eleito nesta eleição 2020 pelo Partido Social Democrático (PSD) em Colombo, região metropolitana de Curitiba. O slogan da coligação formada oito partidos foi “Muda Colombo”.

A porcentagem de votos válidos conquistada pelo grupo para garantir a eleição foi de 43,97%, batendo outros cinco candidatos. O segundo colocado obteve 36,06% dos votos. As principais promessas de Lazarotto foram uma gestão “diferente, moderna e mais eficiente com o uso da tecnologia para desburocratizar a prefeitura”. 

O primeiro desafio, segundo o prefeito eleito, será equilibrar o orçamento de 2021 em meio a pandemia de corornavírus (covid-19). O objetivo é manter os serviços públicos previstos e readequar a máquina administrativa para otimizar despesas. O foco será na Saúde.

“Este ano foi atípico. Vamos assumir com o orçamento já fechado para o ano que vem. A equipe de transição está trabalhando no planejamento, para não descontinuar os serviços públicos. O principal desafio será manter os serviços básicos da saúde, que é o principal problema por causa da pandemia”, disse Lazarotto.

Na sua gestão, Helder Lazarotto diz que pretende modificar a malha de transporte público municipal para interligar os bairros de Colombo de uma forma mais ágil, quer colocar para funcionar um hospital de atendimento médico de alta complexidade e, com o auxílio do vice-prefeito eleito Professor Alcione (Republicanos), 52 anos, trazer a tecnologia para a área da Educação.

“Não só da Educação, que precisa modernizar os materiais e formas de transmitir conteúdo aos alunos, mas na prefeitura como um todo. Hoje, o contador de uma empresa, por exemplo, tem que levar documentos pessoalmente. Tem situações, pelas leis, que tudo bem, mas em outras  o meio digital está aí para simplificar. Tanto para atendimento externo, da população, como para o trabalho interno entre secretarias”, defende.

+Leia mais! Empresária e sem parentes na política, Nina Singer é a primeira prefeita de São José dos Pinhais

Lazarotto também diz que vai contar a sua experiência na área de gestão pública para dar conta das promessas. Ele já foi vereador entre 2008 e 2012, secretário de Saúde em Colombo e Campina Grande do Sul e diretor da Regional Metropolitana de Saúde do governo do Paraná.

O prefeito eleito também tem formação acadêmica direcionada para a área pública. “Rapaz, eu gosto de estudar. Fiz sete especializações, contando MBA, em gestão pública e gestão hospitalar. Fui emendando uma atrás da outra, semipresencial, e só em 2016 que parei por falta de tempo. Gosto de me aprofundar na minha área de atuação”, revela.

Se por um lado o planejamento pode contar a favor de Lazarotto nos próximos quatro anos, por outro vem a obrigatoriedade de manter o jogo de cintura para lidar com uma futura Câmara Municipal composta por maioria de vereadores ligados à atual gestão.

+Leia mais! Reeleita, Marli Paulino promete obras estruturantes pra Pinhais

“A oposição fez a maioria. Mas são pessoas centradas, com bom senso, capazes. Pretendemos apresentar projetos para Colombo se desenvolver, embasados com planejamento, para descomprimir a máquina pública. Estarei sempre aberto ao diálogo e isso é o mais importante para pensar agora”, finaliza o futuro prefeito, pontuando que também abrirá diálogo com prefeituras vizinhas. “Fala-se muito em Curitiba. Mas não podemos esquecer dos nossos vizinhos metropolitanos. Conversar com todos eles sobre  o potencial das nossas cidades será ponto fundamental para as realizações”.