Minutos depois de sair de casa para trabalhar, Sandro Silva Costa, conhecido como “Sandrinho”, 18 anos, foi assassinado a tiros, na Rua Pastor Adolfo Weidman, Jardim Holandês, em Piraquara, às 20h20 de quinta-feira. “Sandrinho” tombou morto ao lado da bicicleta, com a mochila contendo o lanche da madrugada nas costas.

Testemunhas informaram que o rapaz saiu às 20h15, como era de seu costume. Ao passar pela Rua Pastor Adolfo Weidman, parou para conversar com dois rapazes que ocupavam uma motocicleta. De repente, um deles sacou a arma e atirou.

A tia da vítima, Ester dos Santos Silva, não soube explicar por que assassinaram o sobrinho. “Cuido dele desde pequeno. Ele estava trabalhando em uma empresa que monta carrinhos para supermercado das 21h às 7h. Sempre saía nesse horário para trabalhar”, contou. “Ele estava no período de experiência e iria ser registrado”, lamentou.

Investigado

Ontem, a avó dele contou que o jovem era usuário de drogas. Além disso, Valdemir Prado, superintendente de Piraquara, revelou que o rapaz vinha sendo investigado por envolvimento na morte de Anderson Pereira da Silva, 21, ocorrida na metade do mês passado. Anderson escapou da Colônia Penal Agrícola no dia anterior a sua morte. Andava na rua com sua amásia, quando dois rapazes o assassinaram a tiros.

A mulher de Anderson correu e se escondeu debaixo da cama de uma casa próxima. Depois de matar o fugitivo, encontraram a mulher e levaram R$ 300,00 que ela havia acabado de receber.