A decisão da prefeitura de Curitiba de “emendar” o feriado de Páscoa já a partir desta quinta-feira (13) causou revolta entre pacientes que tinham consulta marcada para o dia na Unidade Básica de Saúde (UBS) Ouvidor Pardinho, entre o Centro e o Rebouças. Eles disseram não ter recebido qualquer tipo de aviso sobre cancelamento ou adiamento dos atendimentos. A prefeitura contesta.

Além de “dar com a cara na porta”, a auxiliar administrativa Andreia Correia da Silva, de 37 anos, teve de planejar uma forma de não ser prejudicada no trabalho. “Eu faltei no trabalho por causa dessa consulta que estava esperando há um mês e agora simplesmente não tem consulta. Vou ter que ir lá na UPA das Clínicas para ver se pelo menos consigo um atestado”, contou a mulher, que mora próximo à Avenida das Torres. Ela afirmou não ter sido avisada sobre a unidade não funcionar nesta quinta-feira.

Maria Santos Belão, de 79 anos, e Adão Aguinaldo Belão, de 70 anos, saíram de Santa Felicidade para ir até o posto da Ouvidor Pardinho nesta manhã. A mulher tinha uma consulta na unidade marcada para as 9 horas. “É um absurdo. O mínimo que eu deveria fazer era cobrar a gasolina e o almoço da prefeitura. Cadê que ia melhorar?”, comentou o idoso.

O dilema da vendedora Margarete da Silva, de 47 anos, é de como vai fazer para vacinar o filho, de 4 anos, que precisava tomar um imunizante ainda nesta quinta. Ela, que teria de voltar ao trabalho ainda nesta manhã, planejava como chegar a uma unidade 24 horas em perder muito mais tempo de trabalho. “Ele precisa tomar e agora eu não sei o que fazer. Levar ele em uma UPA? Isso deixa a gente muito indignada porque o feriado é amanhã e não hoje. Por que está fechado?”, questionou a vendedora.

A vendedora Margarete da Silva (esquerda) levou o filho para ser vacinado, mas a unidade estava fechada. Foto: Aniele Nascimento.
A vendedora Margarete da Silva (esquerda) levou o filho para ser vacinado, mas a unidade estava fechada. Foto: Aniele Nascimento.

Diversas repartições da administração municipal estão sem atividade nesta quinta por causa de um decreto publicado na semana passada e que transferiu a folga do feriado do dia 29 de março para a véspera da Sexta-Feira Santa. Também não funcionam núcleos como ruas da Cidadania (exceto Matriz), museus e postos de atendimento da Urbs.

“A questão é que não é feriado e ninguém avisou. Eu não recebi ligação, nada. Agora o problema vai ser remarcar”, argumentou o aposentado Theo Cavalcante, de 68 anos. Ele tinha consulta marcada com um geriatra às 9 horas.

Outro lado

Procurada, a prefeitura justificou que, desde semana passada, quando saiu o decreto sobre extensão do feriado de Páscoa, todos os pacientes que tinham consultas marcadas para esta quinta foram avisados.

Eles foram, conforme a pasta, contatados por telefone. A administração municipal assinala que os pacientes que estiveram na Ouvidor Pardinho nesta manhã para consulta, provavelmente, foram com os que a equipe da unidade não conseguiu qualquer tipo de contato nos dias anteriores.

Ainda de acordo com a prefeitura, os atendimento médicos agendados inicialmente para esta quinta foram transferidos para a semana que vem. Já quem não conseguiu ser avisado deve entrar em contato com a sua Unidade Básica de Saúde para reagendar a consulta.