Após avaliar os dados do último boletim e os indicadores que medem a evolução da pandemia da covid-19 em Curitiba, a Secretaria Municipal da Saúde resolver manter a bandeira amarela por mais sete dias. O cálculo da bandeira ficou em 1,85, o que mantém a capital em situação de alerta.

Para manter a cidade em bandeira amarela, a secretaria ativou nesta sexta-feira (20) mais 94 leitos de UTI para atender os pacientes de covid-19. De acordo com o último levantamento do Portal da Transparência da Secretaria Estadual de Saúde, seis dos nove hospitais de Curitiba com leitos de UTI para coronavírus da rede SUS estavam lotados.

LEIA TAMBÉMCom disparada de novos casos, Curitiba bate mais um recorde negativo na pandemia

O cálculo da bandeira de alerta para coronavírus em Curitiba utiliza nove indicadores. Entre eles a capacidade de atendimento aos doentes (leitos de UTI e de enfermaria), estes com maior peso na conta. Como a prefeitura reativou novos leitos, a bandeira se manteve amarela.

Foram 41 leitos de UTI SUS – seis no Hospital Vitória, dez no Hospital do Idoso, dez no Hospital Evangélico Mackenzie, dez no Hospital de Clínicas e cinco na Santa Casa. Os novos leitos de enfermaria estão distribuídos da seguinte maneira: cinco na Santa Casa, dez no Hospital de Clínicas e 38 no Hospital do Idoso.

O prefeito Rafel Greca também fez um apelo á rede hospitalar provada e ao SUS da região metropolitana, para que trabalhem na ampliação de leitos, suspendendo cirurgias eletivas, como Curitiba fez no começo da semana.

Casos batem novo recorde nesta sexta

O último boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde revelou que 1.409 novos casos de coronavírus foram confirmados nesta sexta-feira (20). É o maior registro desde o início da pandemia. O número de casos ativos também é outro recorde negativo: nesta sexta-feira, 9.131 pessoas seguem com a doença em Curitiba.