Moradores do bairro Batel estão sem os serviços de telefonia fixa e internet desde a última segunda-feira (26). De acordo com eles, nessa data um caminhão de altura elevada passou pela Rua Silveira Peixoto, entre as avenidas Batel e Visconde de Guarapuava, e arrancou um poste – que pertence à empresa de telefonia Oi. O motorista responsável pelo acidente fugiu do local e, até a tarde desta quarta-feira (28), nenhuma empresa atendeu às solicitações dos moradores para troca da estrutura e restabelecimento dos serviços na região.

Segundo o professor universitário Paulo Camargo, ele e seus vizinhos não são clientes da Oi e, por isso, tentaram contato inicialmente com as empresas Vivo, NET e Copel Telecom. “É incrível como ninguém assume responsabilidade por nada neste país. A Copel disse que não tem nada a ver com o assunto porque o poste não é dela, e a NET e a Vivo disseram o mesmo, sendo que todas usam o mesmo poste para passar seus cabos”, disse ele, que também é jornalista.

Ele e os demais moradores, então, tentaram contato com a Oi. “Só que é muito difícil entrar falar com eles quando você não é cliente, pois te direcionam para o setor de vendas”, reclamou o historiador Wilson Maske, que também é professor universitário. Segundo ele, os atendentes não têm informações a respeito de problemas envolvendo postes e não transferem a ligação para o setor responsável. “Então, nosso problema continua” .

Prejudicados

Essa falta de posicionamento das empresas tem prejudicado os moradores no desempenho de suas funções. “Como professor, eu faço diversas atividades relacionadas à universidade utilizando a internet, então não estou podendo trabalhar”. O mesmo acontece com Camargo. “Tenho usado meu celular o tempo inteiro devido à falta de telefonia fixa e dependo inteiramente da internet para preparar minhas aulas e corrigir trabalhos dos alunos. Está bem complicado”, lamentou.

Enquanto nenhuma empresa se manifesta, o poste permanece caído no meio da calçada, prejudicando a travessia de pedestres no local. “Além de interromper o trânsito de pedestres, também coloca em risco crianças e idosos que passam pela via pública”, pontuou Camargo, que também entrou em contato com a prefeitura de Curitiba solicitando um posicionamento.

Troca do poste

À Gazeta do Povo, a empresa Oi afirmou que equipes de manutenção foram ao local do acidente na tarde desta quarta-feira (28) e confirmaram que o poste pertence à companhia. Por isso, a empresa já está providenciando a troca do poste e a regularização da rede de telefonia na região. A previsão é de que o trabalho seja encerrado até o fim da tarde desta quarta.