Uma “brincadeira” terminou com um adolescente de 17 anos com múltiplas fraturas no corpo, correndo risco de morte, na tarde deste domingo (16). Enquanto pegava uma rabeira de ônibus, ele acabou atropelado por outro coletivo que vinha no sentido oposto. Sua bicicleta foi parar debaixo do rodado do veiculo.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

O acidente ocorreu por volta das 14h30 na canaleta do expresso da Rua Afonso Camargo, debaixo do viaduto ao lado da rodoferroviária. Conforme um dos motoristas, o adolescente segurava na rabeira de um coletivo da linha Centenário – Campo Comprido, meio na lateral do ônibus, quando na curva embaixo do viaduto ele bateu de frente com um coletivo da mesma linha, mas que seguia no sentido oposto, rumo ao Centenário. “Eu ainda tentei desviar. Joguei o ônibus pro lado da calçada. Quase peguei a placa. Mas não deu tempo”, lamentou o motorista.

No detalhe, acidente que deixou adolescente gravemente ferido. Bicicleta foi destruída. Foto: Lineu Filho / Tribuna do Paraná
No detalhe, acidente que deixou adolescente gravemente ferido. Bicicleta foi destruída. Foto: Lineu Filho / Tribuna do Paraná

A pancada foi tão forte que a frente do ônibus ficou quebrada e amassada. A bicicleta foi parar debaixo do rodado dianteiro e o jovem foi arremessado para o asfalto. Entre as várias fraturas que teve, ele quebrou os dois ossos fêmur e um dos pulsos. Ele foi socorrido em estado gravíssimo e levado ao Hospital Cajuru.

O motorista do ônibus disse que é muito frequente os adolescentes pegarem a rabeira do ônibus ali naquela região, até o Campo Comprido. E não é raro ocorrerem acidentes por causa disto. “O mais comum é fazerem isso domingo. Mas agora, com as férias escolares, acho que vai ter todo dia. Tem dias que tem mais de 20 meninos de bicicleta pendurados na rabeira, a maioria menor de 18 anos”, lamentou o motorista da linha Centenário, que pediu pra não ter o nome divulgado.

O motorista ainda lamentou que as pessoas não respeitam a canaleta. Diz que entre o terminal do Campina do Siqueira e do Campo Comprido, muita gente anda de bicicleta. “Parece o Parque Barigui, de tanta dente de bike. Tem grupos de amigos, pais que leva os filhos pra andar na canaleta. Desde cedo ensinando errado”, disse o motorista.

Banoffee de curitibano conquista celebridades em São Paulo