Morreu nesta segunda-feira (18) o cantor e compositor João Lopes, autor de “Bicho do Paraná”, música que se tornou o hino informal do estado. Lopes estava tratando um câncer no pulmão e em 2019 passou por transplante de rim e fígado. O cantor não resistiu às complicações e morreu com falência múltipla dos órgãos.

Nascido na cidade de Califórnia, no Norte do Paraná, Lopes, que completaria 70 anos na próxima segunda-feira (25), ficou conhecido pelo estilo rock rural. Gravou o primeiro disco em 1981, quando lançou “Bicho do Paraná”. Na música, Lopes fala da vida de um retirante do interior do estado na cidade grande, com a famosa frase: “Eu não sou gato de Ipanema/ Sou bicho do Paraná”, que se tornou sempre motivo de orgulho para todos os paranaenses.

LEIA MAIS – Economizar água é ainda mais importante para evitar um racionamento ao invés de rodízio

A música surgiu de uma vez em que Lopes foi se apresentar no Rio de Janeiro. O dono de um bar onde ele tocaria ficou incomodado com o tamanho do cabelo do cantor, no que ele respondeu: “Não vou cortar o meu cabelo, não sou nenhum gatinho de Ipanema, sou bicho do Paraná”, ideia que virou o mote da canção.

Campanhas

“Bicho do Paraná” ficou mais famosa ainda quando passou a integrar uma campanha da RPC TV (então TV Paranaense) nos anos 80 e ganhou projeção nacional quando foi usada pelo extinto Banco Bamerindus, também paranaense, em uma de suas campanhas, em 1985.

“Tenho só a agradecer ao meu pai por ter sido uma pessoa espetacular, que deixa um legado eterno. Amante da natureza, fez tudo com amor ao próximo e a Deus”, despede-se a filha do cantor, Julia Gandara Lopes da Silva, 38 anos.

Por causa da pandemia de coronavírus, Lopes terá um velório breve com a presença da família e amigos. O velório será no Cemitério do Água Verde e na sequência o corpo será cremado.


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?