Um menino de 10 anos, identificado como V., passou mal na escola na tarde da última segunda-feira após comer um bombom estragado. O caso aconteceu na hora do intervalo no pátio da escola Integração Comunitária, em Campo Largo.

O superintendente da Polícia Civil, Juscelino Aparecido Bayer, está cuidando do caso. “Conversei com a diretora e o pai da criança, mas eles não sabem como o bombom foi parar na mochila do garoto. Quando V. se recuperar ele virá aqui junto com seus pais e tentaremos solucionar o caso”, disse.

Primeiramente as informações davam conta de que o bombom teria sido achado no pátio do colégio, mas foi constatado de que estava na mochila do garoto. Porém, os pais da criança negam terem colocado o bombom lá.

Segundo Bayer, o garoto foi encaminhado para o Hospital Evangélico e não corre risco de morte. A médica analisou o bombom e disse que supostamente foi envenenado. “O chocolate será encaminhado à criminalística, que irá apurar se realmente houve ou não envenenamento”, salientou Bayer. O menino deu entrada no hospital espumando e foi diagnosticado intoxicação alimentar.

A médica que analisou o material constatou que o bombom, que estava em uma embalagem caseira, foi envenenado por Carbamato, que é usado em pesticidas e é extremamente tóxico.

De acordo com o superintendente, o caso pode ter sido uma brincadeira de mau gosto feita por colegas. “Infelizmente é o que parece, mas iremos apurar”, concluiu.