Em reunião realizada na última quarta-feira (18), da qual o Sindicato dos Médicos no Paraná (SIMEPAR) esteve representado pela diretora secretária geral, Claudia Paola Carrasco Aguilar, médicos do Hospital Waldemar Monastier de Campo Largo, cogitaram paralisar os serviços, por motivo de atraso nos salários desde 2014, com agravante de, neste ano, ainda não terem recebido nenhum vencimento.

De acordo com a informação trazida pelos médicos ao SIMEPAR, o hospital atende com cerca de 45 médicos contratados como pessoa jurídica pela Cooperativa dos Médicos do Pequeno Príncipe (COMEPP), e que esta mantém contrato com o governo do estado do Paraná.

O SIMEPAR, por meio de seu presidente, Mario Antonio Ferrari, já encaminhou ofícios para a diretoria do hospital, Conselho Regional de Medicina CRM-PR e para o secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto, pedindo providência, no sentido de evitar que a categoria deixe de prestar os serviços à população. Além disso, o SIMEPAR terá uma reunião com os referidos médicos, na segunda-feira (23), para apurar melhor as informações e encaminhamentos.