Não é só o coronavírus que preocupa as autoridades de saúde em Curitiba. Quem ainda não se vacinou contra o sarampo deve procurar uma das 11 unidades de saúde de Curitiba que estão exclusivamente dedicadas à vacinação – nesses pontos não há outras atendimentos à população. A vacina é para todas as pessoas de 5 a 59 anos.

Desde agosto de 2019, Curitiba registrou 687 casos de sarampo. Só em 2020, foram 98 novos registros da doença. A faixa etária de 20 a 29 anos concentra metade dos infectados por sarambo em Curitiba – a idade média é de 23 anos. Em 5% (34) dos casos foi necessária a internação hospitalar e todos já tiveram alta.

LEIA MAIS – Poluição volta a aumentar em Curitiba após relaxamento do isolamento social

A secretarias Municipal (SMS) e Estadual (Sesa) de Saúde investigam também outros 864 casos suspeitos da doença na capital – a maior parte só pode ser confirmada após exame de sangue, coletado pelo menos sete dias após o surgimento de manchas vermelhas na pele.

Preocupação

O Paraná é um dos estados que lideram os casos de sarampo no Brasil. Somados, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Pará e Santa Catarina representam 96% de todos os registros no Brasil.

Nas últimas três semanas, Curitiba não registrou nenhum caso de sarampo. Entretanto, o diretor do Centro de Epidemiologia da SMS, Alcides Oliveira, alerta para a importância de manter a vacinação. “Somente com um cordão sanitário constituído pela vacinação será possível evitar que o sarampo continue adoecendo pessoas”, enfatiza Alcides.

Jovens e bebês

Os jovens são a maior preocupação com o sarampo. Eles concentram o maior número de casos da doença. Para mudar esse panorama Curitiba oferta nova dose da vacina para os jovens e adultos de 15 a 49 anos.

“Pessoas nessa faixa etária devem tomar uma nova dose de reforço, mesmo que estejam com a situação vacinal em dia. Se todos fizermos nossa parte, poderemos erradicar novamente essa doença”, afirma Oliveira.

VEJA TAMBÉM – Apesar da previsão de chuva, Sanepar aumenta rodízio de água até terça-feira

O Ministério da Saúde também recomenda uma dose extra para bebês de 6 a 11 meses de idade. Essa dose “zero” promove imunidade temporária, sendo necessário posteriormente as duas doses da vacina previstas no calendário de rotina após o bebê completar 1 ano de idade (a vacina tríplice viral aos 12 meses e a tetra viral aos 15 meses de idade).

Contraindicação

A vacina contra o sarampo é contraindicada para gestantes, imunodeprimidos, crianças menores de 6 meses de idade e pessoas que tenham alergia grave a algum componente dela.

Para as mulheres que desejam engravidar, recomenda-se aguardar um intervalo de 30 dias após realizar esta vacina.

SINTOMAS DO SARAMPO

• Tosse
• Coriza
• Olhos vermelhos (conjuntivite)
• Manchas vermelhas que aparecem primeiro no rosto e atrás das orelhas e depois se espalham por todo o corpo


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?