Uma mulher identificada como Francine, de 57 anos, morreu ao ser atropelada pelo biarticulado Santa Cândida/Capão Raso na manhã desta sexta-feira (4) no bairro Água Verde, em Curitiba.

+Caçadores! Delegado vira ‘paladino’ pela causa animal e põe infratores na cadeia!

Segundo o motorista Jorge Luis dos Santos, o mulher não teria visto o ônibus devido a passagem de uma viatura policial segundo antes do impacto. “O sinal estava aberto e tinha uma viatura da Polícia Civil descaracterizada na minha frente. Ela passou por trás do carro branco e entrou. Não tive reação na hora e nem buzinei. Já a viatura deu uma segurada e não prestou socorro”, relatou o motorista com 30 anos de profissão.

Local Complicado

Para o motorista, o trecho na República Argentina é perigoso, pois as pessoas seguem cometendo erros como falta de atenção ao cruzar a pista ou até mesmo carros em serviço que estariam apenas passeando pelo local.

“Aqui é um conjunto de coisas. Ciclistas, ambulâncias que não ligam a sirene e ficam passeando. As pessoas estão desligadas demais e só dão atenção ao celular e ao fone de ouvido. Já livrei muitas pessoas da morte com a buzina. Hoje não deu tempo”, relatou Jorge.

O veículo que colidiu com a mulher segue parado aguardando o fim de todos os procedimentos legais para deixar o local. O trânsito segue lento na região e os biarticulados precisam entrar na faixa lateral da canela para prosseguir na rota.

Empresário é assassinado na frente de clientes e familiares em Pinhais