Por conta de uma rixa antiga, Zilto Atamanzuk, 40 anos, matou o tio, Marcelino Caetano da Silva, 65, na noite de sexta-feira. O fato aconteceu na residência de Marcelino, na Rua Eça de Queiroz, Cabral. Zilto confessou o crime e se entregou à polícia algumas horas depois.

Zilto morava em Santa Catarina, onde tinha uma loja de roupas. Sexta-feira ele chegou em Curitiba e ficou hospedado na casa do tio para, no fim de semana, visitar o filho que está preso no Centro de Triagem II, em Piraquara.

Marcelino e Zilto já tinham se desentendido várias vezes nos últimos anos. Zilto alega que por conta disso, o tio lhe bateu algumas vezes. Inclusive teria até pego uma foice para ameaçá-lo de morte, uma vez. As brigas acabaram ficando para trás. Porém ontem, ambos começaram a relembrar o passado e houve discussão.

Allan Costa Pinto
Zilto confessou o crime.

Zilto se armou com uma faca e golpeou o tio. Depois disso, fugiu com a arma e a jogou num bueiro. A perita Clélia Hamera constatou duas perfurações no pescoço e mais uma na barriga da vítima.

Por volta das 19h, a irmã de Marcelino chegou na casa, encontrou-o morto. Quando policiais militares e investigadores da Delegacia de Homicídios estavam no local, Zilto voltou e se entregou.

Ainda mostrou onde estava a faca. O assassino foi levado ao Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac-Sul), onde recebeu autuação em flagrante por homicídio. Ele tem uma passagem anterior pela polícia por estelionato.