O guarda municipal João Rildo da Costa, 44 anos, foi baleado numa tentativa de assalto ao Armazém da Família Maria Angélica, da prefeitura, na esquina das ruas Professor Júlio Theodorico Guimarães e Monte Sinai, Pinheirinho.

O mercado popular ainda não estava aberto ao público quando, por volta das 9h, dois marginais invadiram o estabelecimento pelos fundos. João reagiu à ação e foi ferido com um tiro nas costas e outro na nuca. Ele foi encaminhado ao hospital. Os assaltantes fugiram com a arma dele.

De acordo com o inspetor Odgar Nunes Cardoso, diretor da Guarda Municipal, os marginais chegaram ao local armados com pistolas e abordaram o funcionário que fazia reposição da mercadoria.

“Eles entraram perguntando “cadê o guarda, cadê o guarda?’”, relatou o inspetor. Quando João percebeu que se tratava de um assalto, reagiu e entrou em luta corporal com um dos bandidos.

Durante a briga, a arma que seria do assaltante disparou. Um tiro acertou o teto e outra a costas do guarda, que estava de colete balístico. “A bala perfurou o colete, na costura, que não tem as placas balísticas”, informou o inspetor.

Colega

Além de João, o guarda Lacerda também estava de serviço no armazém, porém nada pode fazer para evitar que o colega fosse ferido. “Tentei acudi-lo, mas não deu tempo”, lamentou. O inspetor frisou que Lacerda não reagiu, pois podia ferir funcionários que estavam na linha de tiro.

Os marginais, que aparentavam ter cerca de 20 anos, fugiram levando apenas o revólver do guarda, que foi socorrido pelo Siate e encaminhado ao Hospital do Trabalhador, onde passaria por uma cirurgia, já que o projétil ficou alojado na coluna. De acordo com o cabo De Lima, da Polícia Militar, o socorrista do Siate comentou que João também foi atingido no pescoço.

No final da tarde, a equipe médica do hospital informou que ele tinha quadro de saúde estável, apesar de sentir muita dor, e que permaneceria internado até avaliação na manhã de hoje, por uma equipe especializada em coluna.

Fuga

A polícia acredita que a dupla embarcou num Siena prata, onde um comparsa dava cobertura. O veículo estava parado na rua lateral, a Rua Monte Sinai e, depois do crime, foi encontrado abandonado a cerca de três quadras do mercado.

De acordo com o cabo de Lima, o carro havia sido roubado ainda pela manhã em Curitiba e foi guinchado até o 10.º Distrito Policial (Sítio Cercado). Segundo o diretor da guarda, João está lotado na corporação há 20 anos.

Os marginais não foram localizados, apesar das buscas na região. Um deles é moreno claro, tem aproximadamente 1,70 metro, cabelos escuros com mechas loiras e vestia calça branca e camiseta vermelha. O comparsa é mais baixo, moreno com cabelo curto e usava calça jeans e camiseta preta.