Um ato está sendo organizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical, União Geral dos Trabalhadores e outras centrais sindicais para a próxima terça-feira (5), em protesto contra a Reforma da Previdência, que deve ser votada pela Câmara dos Deputados já na próxima semana. A ideia é pressionar os parlamentares a votarem contra a proposta.

Em Curitiba, um ato está previsto para acontecer a partir das 10h na Praça 19 de Dezembro, no Centro da cidade. De acordo com a CUT, porém, ainda não foi definido se haverá uma passeata aos moldes do que foi feito na paralisação de 15 de março ou se os manifestantes vão permanecer no local.

Embora tenham convocado para greve geral, poucas categorias já confirmaram participação. No último dia 7 de novembro, poucas categorias participaram dos protestos. Segundo a Central, como a votação da Reforma da Previdência voltou à pauta do Congresso, a expectativa é que os trabalhadores se envolvam no debate.

Até esta quarta-feira (29), apenas os professores estaduais sinalizaram que vão participar da greve geral e o Sindicato dos Professores do Ensino Superior da Rede Particular de Curitiba e Região Metropolitana). De acordo com a APP-Sindicato, a categoria votou em assembleia pela participação, o que deve afetar as aulas nas escolas em todo o Paraná.

Outros setores, por outro lado, seguem ainda na indefinição. O sindicato dos servidores municipais (Sismuc) vota a questão na noite desta quarta-feira, enquanto professores da rede municipal de ensino (Sismmac) decidem se participam ou não dos protestos nesta quinta-feira (30). Já os motoristas e cobradores de Curitiba e Região Metropolitana vão se posicionar somente no início da semana que vem.