Cerca de três mil manifestantes que participaram do movimento de Greve Geral na tarde desta sexta-feira (14), em Curitiba, pararam o Centro da capital por cerca de uma hora e meia. O ato começou na Praça Santos Andrade, por volta das 13h, e os manifestantes saíram em caminhada em direção à Boca Maldita, por volta das 15h. O tráfego de veículos foi bloqueado na Rua Marechal Deodoro, Avenida Marechal Floriano Peixoto e nos arredores. A quantidade de participantes é extra-oficial, calculada pela Polícia Militar no local.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Para o início da caminhada, na Santos Andrade, os manifestantes aguardaram a chegada de sindicalistas, estudantes, professores e trabalhadores de diversas classes sociais. Houve discursos em carro de som e o ato foi pacífico, sem registro de confusão, pelo menos até às 16h30, quando tudo foi encerrado na Boca Maldita.

+ Veja também: Bancos em greve parcial em Curitiba.

A Greve Geral foi um movimento que ocorreu em diversos estados e cidades do Brasil. As principais reivindicações eram Educação, Emprego e luta contra a Reforma da Previdência. Em Curitiba, as principais categorias que paralisaram as atividades foram os bancários e metalúrgicos.

Um novo ato está marcado para ocorrer a partir das 18h desta sexta-feira, também na Santos Andrade.

+ Leia mais: Greca diz que vai descontar salários de quem faltou ao serviço e critica grevistas

Transporte coletivo

Nesta quinta-feira (13), na última hora, o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) decidiu não aderir ao movimento, porém, em ao menos cinco garagens os ônibus tiveram a saída bloqueada por manifestantes, situação que ficou normalizada por volta das 10h30, quando 95% da frota já circulava normalmente