Quando você pensa em sair comer alguma coisa diferente ou seus amigos te convidam para jantar, torce o nariz por temer o preço? Em Curitiba, temos visto um boom de vilas e espaços gastronômicos. Atualmente, oito estão em funcionamento e a previsão é de que até o final do ano mais alguns passem a integrar a lista de opções. Mas o que as pessoas sempre sentem medo é de gastar muito nestes lugares e a Tribuna do Paraná foi atrás de mostrar que é possível comer bem, pagando pouco.

Chamados de Vilas Gastronômicas, estes espaços oferecem os mais variados tipos de comida: do café ao lanche rápido ou uma refeição completa e àquele chopp para comemorar com os amigos. Alguns são montados com contêineres e outros são mais tradicionais, mas quem entra nestes locais se sente verdadeiramente numa praça de alimentação de um shopping.

Em Curitiba, bairros como Bacacheri, Portão, Bom Retiro e Mossunguê já têm espaços como estes. A inspiração talvez venha de lá de fora, de outros países que adotaram a mesma técnica, mas um dos antigos polos gastronômicos da capital paranaense, e também ponto turístico, é a Rua 24h. Depois da reforma feita por lá, o espaço, que fica no Centro de Curitiba, passou a ser visto com outros olhos.

A Rua 24h, que foi inaugurada em 1991, até hoje é um polo gastronômico importante. Foto: Marco Charneski.
A Rua 24h, que foi inaugurada em 1991, até hoje é um polo gastronômico importante. Foto: Marco Charneski.

Tradicional

Hoje em dia, o tradicional ponto de encontro dos curitibanos desde 1991, quando foi inaugurado, é também conhecido pela gastronomia. Caminhando pela galeria interna da Rua 24h, é possível escolher do café da manhã ao jantar. Mas o forte aqui tem sido sempre o happy hour, conforme os representantes da rua.

O estrogonofe de picanha é pra lá de saboroso e custa R$ 16,90 no almoço. Foto: Marco Charneski.
O estrogonofe de picanha é pra lá de saboroso e custa R$ 16,90 no almoço. Foto: Marco Charneski.

Com um cardápio bem variado, muita gente tem aproveitado a Rua 24h para almoçar ou então encontrar os amigos no final da tarde. Por lá, é possível gastar dos R$ 10 até R$ 50, dependendo do prato e da opção que escolher. Mas se você busca por uma refeição mesmo e não quer petiscar, a dica pode ser um bom prato feito. O estrogonofe de picanha (diferente, né?), do Prinzer, sai por R$ 16,90 no almoço e R$ 26,90 no jantar. Já para os amantes do chopp: todas as quartas-feiras, das 16 às 22h, o Bávaro tem dobro de chopp.

Descomplica

Na Rua 24h também é possível sentar e petiscar com os amigos. Mas se você pensa em aproveitar outro espaço diferente, em Curitiba não tem faltado opção. Se quiser economizar, mas ainda assim aproveitar, também pode. Na Ca’dore, que fica no Bacacheri, são quase 40 operações diversificadas entre alimentação e bebidas, e as opções podem ser até internacionais.

A fonte iluminada e os decks planos, cercados de contêineres, já são bastante conhecidos pelas redes sociais afora. Localizada em uma região residencial no bairro Bacacheri, a Ca’Dore é um dos recantos favoritos dos descolados e das jovens famílias curitibanas. O espaço, que trabalha com o conceito de compartilhamento de mesas, tem estacionamento próprio, espaço kids, bicicletário, aquecedores e mantas para a temporada de frio. Mas também agrada aos donos de bichinhos de estimação, já que é petfriendly.

Kebab é uma opção diferente e saudável, por R$ 17. Foto: Fabio Alexandre.
Kebab é uma opção diferente e saudável, por R$ 17. Foto: Fabio Alexandre.

Para quebrar o mito de que comer no local implica em gastar fortunas, a Tribuna do Paraná foi conferir de perto três das opções gastronômicas mais em conta que a vila oferece. Por lá, o que não falta é opção e se você quiser fugir do hambúrguer e ainda assim pagar pouco, a nossa opção é o kebab, do Hermano Kebab. Por R$ 17, você pode se alimentar bem e ainda sobra um espaço para o chopp depois.

Opção número um dos brasileiros quando bate a fome fora de hora, o hot dog é versátil, agradando tanto os paladares minimalistas quanto os mais extravagantes. Fugindo do conceito “dogão de bairro”, porém com a mesma gama de guarnições, os lanches do Empório da Vina são confeccionados com salsichas e linguiças especiais – feitas especialmente para a casa – além dos acompanhamentos, todos artesanais. No cardápio 6 opções de hot dogs com preços que variam de R$13,90 a R$18,90.

Com a galera

Na Rua 24h e também a Ca’dore também são bons espaços para sentar e petiscar com os amigos. Mas como em Curitiba não tem faltado opção, o outro lugar que reúne mais de 40 opções que também vão de uma simples (ou nem tanto) sobremesa até um bom prato que dá para ser dividido com os amigos é o Mercado Sal. O local, que foi criado para atender os moradores dos bairros Portão, Pinheirinho, Água Verde, Cidade Industrial de Curitiba, Capão Raso e da Região Metropolitana de Curitiba (RMC), tem atraído gente da cidade toda.

Entre as operações há opções de menus mais tradicionais como massas e hambúrgueres, até os mais diferentes como churrasco, comida indiana e peixe frito. As operações buscam atender a todos os gostos, mas o principal: também dá para pagar bem pouco por lá e não pesar no bolso.

As opções de pratos indianos no Swadisht Express variam de R$ 8 a R$ 38, mas o nosso escolhido foi o Chicken Frankie. Por R$ 22, o lanche é grande e você ainda pode dividir com algum amigo ou namorado. Agora se você é daqueles que busca por uma comida mais leve, mas quer um tempero legal e uma novidade: o Sirène tem um Fish’nChips que é um sucesso. Com R$ 20, você pega o cone maior dos petiscos de batata e peixe frito e também pode dividir com quem quiser.

O peixe frito com a batata são uma combinação perfeita, por R$ 20. Foto: Marco Charneski.
O peixe frito com a batata são uma combinação perfeita, por R$ 20. Foto: Marco Charneski.
O prato indiano sai R$ 22 e é bem tradicional. Foto: Marco Charneski.
O prato indiano sai R$ 22 e é bem tradicional. Foto: Marco Charneski.

Além dos polos gastronômicos que já conhecemos em Curitiba, a cidade vai ganhar, até o final do ano, outros sete espaços, entre eles a Vila Urbana, na Rua Marechal Deodoro. Com tanta opção, não dá para ficar em casa quando àquela fome bater, mesmo se você estiver com a grana um pouco curta. A dica é procurar bem as opções que são oferecidas e escolher o que mais te agradar, dentro do limite de valor que preferir.

Serviço

Rua 24h
Onde: Rua Visconde de Nácar, s/n, Centro.
Horário: 
Lojas abrem das 9h às 19h. Alimentação, das 9h às 22h.

Ca’dore
Onde: Avenida José Gulin, 105, Bacacheri.
Horário: de terça à sexta-feira, das 18h às 23h. Sábados e feriados, de 12h30 às 23h e domingos, de 12h30 às 22h.

Mercado Sal
Onde: R. Itacolomi, 1515, Portão.
Horário: de terça-feira a domingo, das 11h às 23h. Segunda-feira não abre.