Moradores do Jardim Kosmos, no Pilarzinho, disseram que finalmente dormiriam aliviados, por causa da morte de dois rapazes. Outros dois jovens também foram baleados e encaminhados em estado grave ao hospital.

O motivo do crime, comentaram anonimamente vários moradores, seria vingança pelo assassinato ocorrido no sábado e disputa pela liderança do tráfico de drogas na região.

A fuzilaria ocorreu por volta das 19h30 de ontem. Com medo, ninguém quis contar como foi o crime, quantos eram os autores e como fugiram. A princípio, as vítimas andavam na rua quando foram baleadas.

Os corpos de um adolescente, de 16 anos, e de Marlon Leopoldino, 20, ficaram caídos na Rua Antônio Petrusiello. Josuel Bueno, 23, e Dalton Santana Gonçalves, 21, foram socorridos pelo Siate na Rua Cezário Curial. Josuel levou um tiro no pescoço. Dalton foi ferido com vários tiros, inclusive na cabeça.

Domínio

O sargento Sérgio, do 12.º Batalhão da Polícia Militar, confirmou informações de moradores de que o grupo apareceu no bairro, no final do ano passado, e impôs sua força para dominar o tráfico. Eles teriam vindo da Vila Torres, de onde tiveram que sair às pressas porque estariam jurados de morte por lá.

Moradores afirmaram que o grupo matou pessoas inocentes nos últimos tempos. Uma delas teria sido o pintor Anderson Veiga, 29, morto a golpes de capacete e tijolo, no domingo. A fuzilaria de ontem seria em vingança à morte de Anderson.

Terror

“Agora o bairro vai dar uma acalmada. Essa noite vai dar pra dormir tranquilo”, disse uma moradora. Ela contou que, para chegar à noite de carro ou de moto, o condutor tinha que dar determinada quantidade de piscadas na luz do carro, para que os traficantes identificassem que era um morador.

“Várias pessoas que chegaram a pé em casa depois das 22h já apanharam dos traficantes”, disse, revoltada, outra moradora. Enquanto a Polícia Militar trabalhava resguardando os corpos, fogos de artifícios foram soltos, nas proximidades.

O sargento Sérgio confirmou que o bairro estava “agitado” nos últimos tempos, e que a polícia recebia informações sobre a atuação de grupos, querendo dominar o bairro.

Outro morador ainda revelou que mais mortes podem acontecer por ali, pois há mais dois rapazes pertencentes ao grupo. Ninguém que deu estas declarações quis se identificar, com medo de represálias.