Tiago Batista Severino, o ‘Portec‘, 28 anos, provavelmente sabia que sua vida estava por um fio. Ele passou a noite ansioso e constantemente ia até a rua, olhava e voltava, como se esperasse por alguém. Quando dois rapazes chegaram em uma moto, ele saiu correndo para atendê-los e foi morto com vários tiros.

Aproximadamente 15 pessoas estavam na casa dele, na Rua Policarpo Ferreira de Miranda, no Loteamento Miranda, perto da estrada principal que dá acesso ao bairro Itaboa, em um churrasco. Às 20h50, dois rapazes em uma motocicleta vermelha buzinaram na frente da casa, e Tiago saiu correndo na direção do portão. Ninguém entendeu o porquê da pressa.

Assim que viu Tiago, o garupa atirou nele. A vítima caiu, então o assassino pulou o muro da casa, atirou mais vezes no peito e na cabeça de Tiago até ter certeza de que ele estava morto, voltou para a moto e fugiu com o comparsa. Amigos e familiares de Tiago testemunharam a barbárie.

A polícia recebeu uma denúncia de que a motocicleta utilizada pelos assassinos foi abandonada nas proximidades, mas ela não foi encontrada. A vítima carregava dinheiro no bolso, mas a família não sabe dizer se ele recebeu a quantia ou se a guardava para pagar alguém.

De acordo com o superintendente Marcos Gogola, da Delegacia de Campo Largo, Tiago já esteve preso por tráfico de drogas, por dirigir embriagado, ameaça, resistência à prisão e dano ao patrimônio. Ele era usuário de drogas. O pai, Celso Batista Severino, tentou afastar o filho do vício, sem sucesso.

‘Por favor escutem os pais. Vejam o sofrimento que eu to sentindo agora, sabendo que ia acontecer isso, infelizmente… Mas eles não escutam! Pensam que o pai fala por mal, que o pai é careta, mas não é. O pai alerta para tentar ajudar. O pai nunca quer o mal do filho‘, lamenta.

Roubo

Este foi o segundo homicídio na região de Campo Largo neste ano. No dia 9, Luiz Bedin Ramos, 60 anos, foi baleado nas costas na localidade de Bugre, em Balsa Nova. Ele estava dentro de uma mercearia, à noite, quando um grupo anunciou assalto. Ele tentou sair sem ser percebido, mas foi baleado e morreu a caminho do Centro Médico da cidade.

A polícia acredita que ele reconheceu algum dos ladrões, e por isso foi assassinado. Suspeitos já foram ouvidos na delegacia local e negaram envolvimento no crime, mas a equipe de investigação continua em busca de provas para incriminá-los.