Um ano após o inicio da aplicação de multas de trânsito pela Guarda Municipal de Curitiba, a falta de cinto de segurança é a principal infração cometida por curitibanos. Segundo dados da Secretaria Municipal da Defesa Social e Trânsito, foram mais de 7,5 mil registros de infração dessa espécie, além de outras 4,1 mil autuações de agentes da Setran. Em média, são 32 pessoas flagradas sem cinto por dia na cidade.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Obrigatório desde 1998, quando entrou em vigor o atual Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o cinto de segurança deve ser utilizado pelo condutor e também pelos passageiros dos bancos dianteiro e traseiro, em vias urbanas e rodovias de todo o território nacional. “É inadmissível colocar a vida em risco pela falta do cinto de segurança”, diz o secretário da Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel.

O descumprimento é considerado infração de natureza grave, o que acarreta multa de R$ 195,23 e a perda de cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). E a principal característica de tais infrações é a sensação de não ser preciso usar o cinto. “A irregularidade é detectada principalmente nos bairros, onde muitas vezes o cidadão dispensa o cinto de segurança porque vai percorrer um trecho curto, para buscar o filho na escola ou ir à padaria”, avalia Rangel.

Outras irregularidades mais comuns identificadas pelos guardas no trânsito são estacionamento em local ou horário proibido especificamente pela sinalização (6.572 autuações neste primeiro ano), estacionar no passeio (6.483 casos) e o uso do telefone celular (5.490). Atualmente, 351 guardas atuam no trânsito, após terem passado por capacitação específica.

Casa de shows para 7 mil pessoas será inaugurada neste fim de semana em Curitiba