Dois homens invadiram e penduraram para o lado de fora do terceiro andar da Faculdade Camões, na esquina do calçadão da Rua XV de Novembro com a Alameda Doutor Muricy, um boneco enforcado com a inscrição “Greca” ao lado da pichação com a frase “Só assim se resolve!!!”. Um homem foi capturado e o outro conseguiu fugir pelo telhado. De acordo com o delegado Ivo Dyniewicz Jr., ele será autuado por furto qualificado e pichação.

A ocorrência foi atendida pela Polícia Militar por volta de 6h50 desta terça-feira (8). O homem detido foi encaminhado ao 1º Distrito Policial, no Centro. “Ele foi autuado em flagrante por furto qualificado, porque estava na companhia de outro rapaz, e eles quebraram vidros e picharam a parede, do lado de dentro e de fora do prédio”, explica Dyniewicz. No entanto, ele não são será autuado por ameaça. “Não configura, é mais uma manifestação política do que um crime”, conclui o delegado.

A PM ainda não sabe qual foi a motivação para ambos se referirem ao prefeito Rafael Greca (PMN) no ato. O boneco utilizado pertence à faculdade, tem o apelido de “Zé” e é usado em aulas dos cursos de Radiologia e Cardiologia. Ele também foi levado ao 1° DP. Os invasores entraram no prédio justamente pela janela do laboratório de Radiologia.

Dentro da faculdade, há ainda outra frase pichada com a inscrição “Deixe o boneco até 48 HRS e ñ voltaremo mais aki” (sic). De acordo com funcionários da Camões, os rapazes estavam ouvindo som alto nas primeiras horas da manhã, quando eles chegaram para trabalhar. A PM foi acionada logo em seguida.

Ainda de acordo com a equipe de limpeza da instituição de ensino, os invasores fizeram o protesto acreditando que a faculdade fosse pública.

Em entrevista à reportagem, o prefeito falou que essa atitude não muda sua relação com a população. “Deus me poupou do sentimento do medo. Minha vida seguirá normalmente servindo ao lado da população e trabalhando para melhorar a cidade. Nada mudará. Não vou mudar minha vida por uma minoria do ódio”. Além disso, ele falou que vai esperar a polícia investigar o caso.