Embora a Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba tenha autorizado a volta das aulas presenciais nas escolas particulares da cidade, as atividades em sala de aula na rede pública municipal não devem ser retomadas em 2020, segundo a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila. O ano letivo prossegue com o ensino remoto até o dia 18 de dezembro.

“Estamos nos preparando de maneira estrutural e jurídica para futuramente trabalharmos no treinamento de 17 mil profissionais para que estejam preparados para o novo normal”, explicou a secretária à Gazeta do Povo. “Não é o momento ainda”, defende.

+ Veja também: Ocupação de UTI volta a subir e Curitiba tem três hospitais com lotação acima de 94%

Ela ressalta que o trabalho pedagógico não parou. “Antecipamos o recesso de julho para o período entre 23 de março e 12 de abril e, desde então, as aulas não pararam. Temos a TV Escola Curitiba, no canal 9.2 e no YouTube, todo um trabalho estruturado de ensino remoto feito pelas unidades educacionais.”

Segundo ela, nesse período de sete meses, as famílias foram compreendendo o novo modelo. “Vamos encerrar o ano com essa lógica. As questões do protocolo para reabertura, um documento com 40 páginas, que está sob análise da secretaria de saúde, serão trabalhadas para 2021.”

“Entendemos que o modelo presencial é o mais adequado para as crianças pequenas, mas também nos adequamos a esse perigo sanitário, que é o coronavírus”, diz. Ela explica que será necessário adequar todos os procedimentos jurídicos de contratação de prestadores de serviços para reorganizar as unidades escolares.

+ Viu essa? Natal em Curitiba conta com mais de 10 atrações pela cidade; confira programação

Ao todo, somando centros municipais de educação infantil (CMEIs), escolas de ensino fundamental e centros municipais de atendimento especializado (CMAEs), a rede pública municipal dispõe de 426 equipamentos e atende 147 mil estudantes.

Maria Sílvia lembra que na próxima semana serão entregues kits pedagógicos e de alimentação nos CMEIs e escolas. “A comunidade deve seguir a orientação dos diretores, que estão fazendo um trabalho muito atento e cuidadoso com toda essa lógica. É uma engenharia muito grande para que esse ensino remoto aconteça.