Um vazamento de gás, percebido em rede da Compagás (Companhia Paranaense de Gás), assustou moradores da rua Desembargador Otávio do Amaral, no Bigorrilho, em Curitiba, na manhã de ontem.

O problema teve início por volta das 10 horas, quando uma escavadeira, utilizada na construção de um prédio residencial, furou a tubulação de gás que passava embaixo da calçada presente em frente à obra.

Assim que o acidente foi percebido, os trabalhadores da construção ligaram para a Compagás. Minutos depois, o Corpo de Bombeiros chegou ao local, isolando a área e fechando a rua para o tráfego de veículos. Na sequência, funcionários da Compagás fecharam as válvulas de bloqueio da rede.

A ocorrência não teve danos maiores e ninguém saiu ferido. “Os vazamentos não são comuns, mas as escavações são as maiores fontes de perigo às redes de gás”, informou o gerente da Assessoria de Saúde, Segurança e Meio Ambiente da Compagás, Marco Aurélio Biesemeyer.

“Sempre colocamos tachões nas calçadas para alertar sobre a existência de redes e as cobrimos com capa de concreto, advertindo de que não devem haver escavações. Na rua Otávio do Amaral, apesar de todas as advertências, o operador da escavadeira continuou a escavação. Tínhamos equipes perto do local e tudo foi resolvido rapidamente. Os moradores da rua também não ficaram sem gás, pois a rede afetada é exclusiva do prédio que ainda está em fase de construção.”

Moradores próximos do local de vazamento sentiram cheiro forte de gás e alguns, por precaução, foram orientados a sair de suas residências. A dona de casa Susi Fylyk, que é vizinha da construção, desligou a energia elétrica de sua casa e foi esperar na esquina até que a situação fosse resolvida.

“Estava sozinha em casa quando o vazamento aconteceu e levei um susto grande quando percebi o que estava acontecendo. Porém, foi apenas um susto e tudo foi resolvido de forma bastante rápida. Fiquei apenas uns dez minutos fora de casa e depois já pude voltar”, contou.