Seis dias após o início da temporada de verão 2018-2019, guarda-vidas já resgataram 50 banhistas afogados nas praias do Paraná. Quatro das vítimas, que ficaram muito tempo embaixo d´água, não resistiram e morreram. A situação mais recente foi nesta quarta-feira (26) em Pontal do Paraná e envolveu dois adolescentes. O corpo de um dos jovens, de 17 anos, foi encontrado ainda na quarta nas proximidades do Balneário de Ipanema. Já o corpo do segundo adolescente, de 15 anos, foi encontrado no começo da tarde desta quinta (27), entre os balneários Guarapari e Ipanema.

Embora o Corpo de Bombeiros não tivesse até a manhã desta quinta-feira (27) um comparativo em relação ao mesmo período do ano passado – o primeiro balanço sairá nesta sexta (28) -, a corporação acredita que, por causa de dias fechados seguidos no Litoral, o número não esteja tão em desacordo com a temporada passada. “O que a gente pode adiantar pela observação e pela experiência em temporadas anteriores é que as condições climáticas não tão favoráveis possa ter diminuído os casos de afogamento”, adianta a tenente Ana Paula Inácio de Oliveira Zanlorenzi, responsável pela comunicação do Corpo de Bombeiros na Operação Verão 2018-2019.

No entanto, os dados não implicam em preocupação menor. Todo cuidado é pouco para quem vai aproveitar a folga curtindo uma praia e, por isso, as orientações nunca devem ser ignoradas. Veja algumas dicas para evitar afogamentos em rios e praias.

1- Nade somente em áreas protegidas

A principal recomendação é que o banhista procure sempre um local próximo a um posto de guarda-vidas para nadar. É importante ficar atento às bandeiras que mostram que a área é protegida pelos bombeiros. Caso não seja, a recomendação é ficar longe da água.

2 – Respeite as placas de sinalização

As placas de sinalização na areia indicam se o mar está próprio ou não para banho, se existem buracos na areia e risco de afogamento. De acordo com o capitão Tratch, é importante verificar todos os avisos para evitar acidentes.

3 – Se não houver guarda-vidas, não vá para o fundo

Caso não tenha nenhum guarda-vidas por perto, evite ir para o fundo do mar. Pode entrar na água, mas tente evitar que a água passe do umbigo. Desta forma, caso a maré atrapalhe, fica mais fácil sair da água sem grandes transtornos.

4 – Nade sempre acompanhado

Evite nadar sozinho, sempre, mesmo que seja perto da costa. Caso aconteça alguma coisa, é importante ter algum amigo ou familiar próximo para chamar o socorro adequado.

5 – Não tente salvar alguém se não for capacitado

Falando em socorro adequado, outra dica importante é não tentar salvar uma pessoa de um afogamento caso não tenha capacitação. De acordo com o capitão Tratch, a tentativa pode acabar em um acidente maior e com mais vítimas. O que se pode fazer nesta situação é jogar objetos flutuantes, como boias por exemplo, para que a pessoa consiga se apoiar e depois puxá-la para fora da maré.

6 – Crianças, sempre acompanhadas

Se adultos não devem nadar sozinhos, crianças muito menos. É importante que os pais ou responsáveis estejam atentos às crianças em todos os momentos – na água ou não. Um minuto de distração pode acabar em um acidente.

7 – Identifique seu filho

Em qualquer um dos postos de guarda-vidas nas areias do litoral do Paraná os pais podem solicitar uma pulseirinha para identificar seus filhos. Os Bombeiros indicam que toda pessoa menor de 10 anos deve ser identificada com pulseira que contenha o nome da criança e telefone de contato dos responsáveis.

8 – Bebida alcoólica e mar não combinam

De acordo com o capitão Tratch, grande parte dos acidentes acontecem após esta combinação. “Quando se bebe, perde-se a noção do perigo e a pessoa se sente mais segura, o que pode causar vários acidentes”, explica. Melhor mesmo é evitar bebidas alcoólicas antes de entrar no mar.

9 – Não entre no mar a noite

Com o calor, a vontade de entrar no mar durante a noite é grande, principalmente na virada. Porém, de acordo com o capitão, a prática pode causar graves acidentes. “Para evitar a prática, os guarda-vidas não ficam nas praias durante a madrugada”, comenta. Isso não quer dizer que não se pode pular as sete ondas à meia-noite. “Os pulos estão liberados, mas a água não deve passar do joelho”, afirma Tratch.

Se mesmo depois destas dicas acontecer algum acidente durante a virada, o Corpo de Bombeiros terá plantonistas prontos para atender a população. É só entrar em contato pelo telefone 193.