José Augusto Gomes Leal Filho, 48 anos, e Cláudio Renê Valente, 66, foram presos ontem em flagrante, por corrupção ativa. Eles tentaram subornar policiais militares do Batalhão Ambiental em R$ 2 mil, para que não fossem responsabilizados pelo desmatamento de 63 hectares, numa propriedade rural em Campo Largo.

O tenente Cristiano, da Rondas Ostensivas Tático Motorizadas (Rotam), do Batalhão Ambiental, contou que na quarta-feira receberam a denúncia do desmatamento e foram imediatamente ao local conferir. Na propriedade, encontraram alguns funcionários usando motosserras. Como não tinham autorização para uso dos equipamentos, as motosserras foram apreendidas.

Ontem, José, que é o dono da chácara, e Cláudio, que é coordenador dos funcionários, foram à sede do Batalhão Ambiental, em São José dos Pinhais. Segundo o tenente, Cláudio ofereceu R$ 1.500 e José outros R$ 500, para que os autos de infração não fossem lavrados.