O termo de adesão do Município de Curitiba à Política Nacional para População em Situação de Rua  foi assinado nesta quinta-feira (11) pelo prefeito Gustavo Fruet. Curitiba é a terceira capital a aderir ao programa, depois de Goiânia e São Paulo, e com isso passa a integrar a execução de projetos intersetoriais voltados para moradores de rua, em parceria com o governo federal.

O termo de assinatura aconteceu durante a abertura da 10ª Conferência Municipal da Assistência Social de Curitiba, realizada pelo Conselho Municipal da Assistência Social de Curitiba (CMAS) com apoio da Fundação de Ação (FAS). A conferência é a etapa que precede a realização das conferências regional, estadual e nacional para a formulação da política de assistência social no Brasil. A conferência vai até esta sexta-feira (12), no Teatro Universitário da PUCPR.

“É inaceitável que uma cidade que discuta inovação e tecnologia ainda tenha moradores de rua”, afirmou Fruet. “Queremos marcar nossa gestão não somente com obras, que são importantes, mas com inclusão. Por isso damos prioridade à educação, à saúde e à área social.”, disse o prefeito.

A presidente da FAS, Marcia Oleskovicz Fruet, reforçou a importância da assinatura do termo de adesão: “Temos uma dívida com a população de rua, que foi por tanto tempo negligenciada. Com isso, damos a eles a dignidade que precisam ter”, disse. “Queremos consolidar um novo pacto por um desenvolvimento social mais humano em Curitiba, construindo uma ampla rede de proteção em todos os territórios”, complementou.

“Depois desta adesão de Curitiba, agora precisamos caminhar para a construção de um comitê estadual de acompanhamento da execução das políticas nacionais”, afirmou o diretor do Departamento de Promoção dos Direitos Humanos da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Marco Antonio Juliatto.

A secretária nacional da Assistência Social, Denise Colin, destacou a importância do tema das conferências municipais, que marca os oito anos da criação do Sistema Único da Assistência Social (Suas): “Representa um projeto político de sociedade. A decisão de que o estado deve estar a serviço de seus cidadãos. Agora o momento é de materializar esses direitos em prestação de serviços de atendimento a famílias em situação de vulnerabilidade”, concluiu.

Conferência

A 10ª Conferência Municipal da Assistência Social tem como tema principal “A gestão e o cofinanciamento na efetivação do Suas”. Ao longo desta quinta e sexta-feira, os delegados farão uma avaliação da aplicação das políticas públicas de assistência social no Município nos últimos anos e apresentarão novas propostas de diretrizes para a área. “Estamos mobilizados e unidos pela mesma tarefa. Porque é preciso convergência entre o que a sociedade está pedindo e o estado está propondo”, disse o presidente do CMAS, José Araújo da Silva.