A Rua Dílson Luís, no Tatuquara, será totalmente bloqueada no cruzamento com a BR-116, nas proximidades da Ceasa. A interdição de trânsito vai começar na segunda-feira (27) e vai até 11 de março. Placas de trânsito e sinalização feita pela Setran orientarão os motoristas.

O bloqueio será feito para a continuidade das obras das alças de acesso da trincheira da Ceasa (Centrais de Abastecimento do Paraná). As obras são feitas pela Prefeitura para melhorar o acesso entre os bairros CIC e Tatuquara.

Com o fechamento da Rua Dílson Luís, os motoristas que circulam no sentido Fazenda Rio Grande – Curitiba precisarão continuar pela BR-116, passar em frente à Ceasa, e virar à direita na Rua João Amadeu Pedro Bom e depois pegar a Rua Nicola Pellanda para seguir até o Umbará.

Acesso à trincheira

O bloqueio de trânsito é necessário para a execução de serviços de pavimentação e drenagem nas proximidades da Rua Dílson Luís. Estão em construção quatro alças de acesso da trincheira que existe embaixo da BR-116. A Prefeitura investe R$ 10,6 milhões na obra. As quatro alças de acesso vão interligar as ruas Hasdrubal Bellegard, na CIC, e Dílson Luís, no Tatuquara.

O prazo de conclusão da obra é de 300 dias. Quando estiverem concluídas, as alças vão melhorar a mobilidade na região Sul da cidade. Moradores da CIC, Tatuquara e Umbará terão mais segurança e facilidade para cruzar a BR-116.

Além disso, quando a trincheira estiver funcionando haverá uma opção de retorno na rodovia quase em frente à Ceasa, o que facilitará muito a vida de transportadores e produtores que todos os dias comercializam hortifrutigranjeiros na Ceasa.

Atualmente, quem está na BR-116, sentido a Fazenda Rio Grande, precisa andar quase dois quilômetros para fazer o retorno e acessar à Ceasa. A trincheira vai acabar com este problema. As obras são coordenadas e fiscalizadas pela Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura.