Pelo segundo ano consecutivo, o Brasil não terá o horário de verão. Implementado em outubro de 1931, a mudança de horário vigorou até 2018, na maioria dos estados brasileiros. O objetivo de adiantar uma hora no relógio era deixar o dia mais longo para que se aproveitasse a iluminação natural do Sol e, assim, houvesse menos uso de energia elétrica.

No entanto, no ano passado, o presidente Jair Bolsonaro revogou a decisão com base em estudos do Ministério de Minas e Energia (MME), que comprovaram que o horário de verão deixou de produzir resultados positivos na economia. Se estivesse em atividade, o ato de adiantar o seu relógio em uma hora começaria na primeira semana de novembro e iria até o mês de fevereiro.

Com horário de verão ou sem, o consumo de energia só vem crescendo no país. Segundo o relatório anual estatístico de Energia Elétrica, feito pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), o número de energia gerada foi de 482.226 GWh em todo 2019, número que vem aumentando a cada ano.

Só os setores industrial e de comércio, juntos, utilizaram 54% desta energia elétrica. No entanto, mesmo sem os benefícios do horário de verão, com algumas medidas simples é possível diminuir a conta de luz do seu negócio.

“Com a temperatura média do planeta aumentando a cada ano, teremos cada vez mais o crescimento no consumo de energia elétrica, principalmente pelo uso do ar-condicionado e dos aparelhos de refrigeração, que são os grandes vilões no consumo de energia. E, neste momento de estiagem, todo tipo de consciência e economia são muito importantes”, explica Wolney Pereira, CEO do Grupo Ergon, empresa especializada em solução de energia para negócios.

Confira 6 dicas da Gedisa, empresa do grupo Ergon, que apresenta soluções de geração de energia distribuída para pequenos e médios negócios, proporcionando descontos na fatura do consumidor.

Janelas e cortinas abertas

Deixe sempre as janelas (sempre busque por janelas grandes) e cortinas do seu estabelecimento abertas para que a luz natural entre com maior intensidade. Os comércios geralmente funcionam em horários que o sol já nasceu e ainda não se pôs, por isso não deixe de aproveitar a luminosidade gerada por ele.

Use lâmpadas de LED

As lâmpadas de LED possuem uma vida útil maior e consomem menos energia dos que as lâmpadas normais por não usarem calor no processo. A economia de energia, se comparada a uma lâmpada normal, pode passar de 80%. É bom ficar ligado também na manutenção das instalações elétricas.

Prefira paredes claras

Quando for planejar ou reformar seu negócio, opte por paredes com cores claras, principalmente o branco. Elas contribuem para a propagação da luz natural e ainda dão sensação de amplitude ao seu ambiente.

Desligue os aparelhos após o expediente

É recomendado que todos os aparelhos, que podem ser desligados, sejam retirados da tomada. Evite deixar televisores, computadores, impressoras e roteadores wi-fi, por exemplo, que ficam no modo stand-by, ligados após o término do expediente. Toda forma de economia ajuda na sua conta ao final do mês.

Ar-condicionado

O ar-condicionado é o maior vilão das contas de luz e o uso adequado pode fazer grande diferença nas finanças do seu negócio. Se puder aproveitar a temperatura local sem ligá-lo, melhor. Caso não, tente usar sempre uma temperatura média e evite mudar constantemente.

Também é importante escolher o mais econômico e com a potência adequada para seu ambiente. Os aparelhos com Selo Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) garantem que o consumidor conheça, entre os equipamentos e eletrodomésticos à disposição no mercado, os mais eficazes e que consomem menos energia.

Opte por Geração Distribuída

A Geração Distribuída é a modalidade na qual o consumidor gera toda (ou parte), da energia elétrica que consome e é utilizada por meio da compensação de créditos. Em outras palavras, é como comprar energia direto do produtor sem os custos adicionais do distribuidor. A modalidade sai da unidade geradora e vai direto até seu estabelecimento, ou seja, não necessita do auxílio de uma empresa de distribuição como intermediária. O desconto com a modalidade é variável, mas pode chegar até 15% ao mês.