A imprudência de combinar bebida alcoólica e direção fez novas vítimas em uma rodovia paranaense. Na manhã deste sábado (26), um homem morreu e um adolescente ficou ferido após um acidente provocado por um motorista embriagado, ocorrido por volta das 7h50, no quilômetro 139 da BR-116, em Mandirituba, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Outro acidente grave na RMC deixou três mulheres mortas.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o condutor de uma caminhonete Mitsubishi L200, um jovem de 23 anos que transitava na pista sentido Santa Catarina, bateu na traseira de um automóvel Fiat Uno, que foi lançado para a pista contrária.

No Uno seguiam o motorista, um homem de 35 anos e seu filho de 15. Feridos após o forte impacto da batida, o motorista chegou a receber socorro, mas morreu na ambulância a caminho do hospital. Já o adolescente foi encaminhado com lesões moderadas para o Hospital Cajuru, em Curitiba.

Nos veículos também era possível perceber a gravidade do acidente: a caminhonete teve sua frente muito danificada e o Uno ficou completamente destruído.

Em casa

Sem prestar socorro, o motorista da caminhonete fugiu do local, sendo preso por uma equipe da PRF pouco tempo depois, já em sua casa, onde tomava banho. No momento prisão o rapaz se negou a soprar o bafômetro, mas os policiais puderam constatar a embriaguez pelos sintomas de forte odor etílico, desorientação e sonolência apresentados por ele. À equipe da PRF, o motorista detido alegou que teria dormido ao volante.

Pulseira da balada

Dentro da caminhonete, os policiais ainda encontraram duas pulseiras com a inscrição de uma marca de uísque.
Dentro da caminhonete, os policiais ainda encontraram duas pulseiras com a inscrição de uma marca de uísque. Foto: Divulgação/PRF.

Após a colisão, segundo a PRF, a caminhonete parou a 175 metros depois do ponto do impacto. No local do acidente, a velocidade máxima permitida na rodovia é de 80 km/h. No entanto, não há informações sobre a velocidade do veículo no momento da batida.

Dentro da caminhonete, os policiais ainda encontraram duas pulseiras com a inscrição de uma marca de uísque, utilizadas provavelmente durante uma festa ou evento. Quem investiga o caso é a Delegacia da Polícia Civil em Fazenda Rio Grande.

Segundo a PRF, a caminhonete parou a 175 metros depois do ponto de colisão
Segundo a PRF, a caminhonete parou a 175 metros depois do ponto de colisão. Foto: Divulgação/PRF.