Pois anos depois de conquistar a vaga de motorista de ônibus pela qual lutou por muito tempo na empresa Santo Antônio, Fabiano Crespan, 27 anos, morreu conduzindo o coletivo. Ele seguia para o terminal do Boa Vista onde buscaria os primeiros passageiros quando bateu em outro ônibus, em um dos cruzamentos mais perigosos de Curitiba.

Por volta das 5h, os semáforos estavam em alerta na esquina entre a Avenida Jovino do Rosário e a Rua Lodovico Geronasso. Fabiano conduzia pela via rápida o ônibus prefixo 18A44 que faria a linha Vila Esperança, e atingiu a lateral do microônibus BN617, da empresa Pontual, que faria a linha Paineiras e vinha pela outra rua. Os dois motoristas haviam deixado as garagens há poucos minutos para fazer as primeiras corridas, portanto não carregavam passageiros.

Com o impacto da colisão, o Vila Esperança derrubou o semáforo e só parou depois de bater contra um poste. O microônibus foi arremessado sobre a calçada, mas fez a volta no outro veículo e parou no meio da Lodovico. Fabiano, sem cinto de segurança, ficou pendurado na janela. Ele teve o braço direito amputado e morreu na hora.

O cobrador do Vila Esperança e o motorista do Paineiras, que tinha mais de 60 anos, foram atendidos por socorristas do Siate e encaminhados ao Hospital Cajuru. Eles passam bem.

Fabiano já foi despachante de tráfego e cobrador. Há dois anos, depois de muitos cursos e exames, foi promovido a motorista. Ele era casado e deixa um casal de filhos.

O segundo ônibus foi removido do local pouco depois das 9h. O trânsito ficou bloqueado no cruzamento durante toda a manhã.

Acidentes

A Lodovico Geronasso, nos cruzamentos com as duas vias rápidas e com a Avenida Paraná, é uma das ruas que mais registra acidentes em Curitiba. Os moradores da região já testemunharam atropelamentos, batidas entre todos os tipos de veículo e vários muros derrubados por carros descontrolados.

Segundo Sandra Regina, 49 anos, que mora desde os 7 nesta rua, a vizinhança pediu à Prefeitura de Curitiba que a Lodovico se tornasse mão única e fizesse binário com uma rua paralela, mas recebeu resposta negativa porque a alteração interferirá no itinerário de duas linhas de ônibus.

“A rua é muito movimentada. Para sair de casa com carro, em horário de pico, é quase impossível”, conta Sandra.

Veja na galeria de fotos o acidente.