Após a condenação do ex-deputado Luiz Fernando Ribas Carli Filho, a mãe de uma das vítimas, Christiane Yared, desabafou. Segundo a hoje deputada federal, a pretensão do julgamento não é de vingança, e sim de mudar o comportamento dos brasileiros no trânsito. “Queremos nossos filhos conosco, ter o direito de ver os netos nascerem, direito de ser enterradas por eles, não enterrá-los”, sentenciou.

Para ela, que se elegeu para um cargo no Congresso Nacional, em 2014, com uma plataforma de endurecimento das leis de trânsito, é necessário que o brasileiro mude suas atitudes atrás do volante. “Temos que mudar o comportamento. Esse país mata um brasileiro a cada 10 minutos no transito. Sequela um brasileiro por minuto. Estamos todos na fila”, sentenciou.

Christiane foi dura em rebater a tese da defesa, que durante o julgamento tentou desqualificar o acidente como crime de trânsito e enquadrar como uma infelicidade. “Fatalidade é um mal que não se pode evitar, um meteoro, um terremoto. Beber e dirigir você pode evitar, dirigir em alta velocidade você pode evitar”, ressaltou, celebrando o entendimento que a justiça pode adotar daqui em diante em casos semelhantes. “Criamos uma jurisprudência, abrimos caminhos”.

Segundo a deputada, leis mais rígidas podem ajudar a coibir situações como as que levaram à morte seu filho. “Ter leis mais duras, punição, que educam. Quem não pune, não educa. Fazer justiça. País sem justiça é país sem futuro, sem paz”.

Ex-deputado Carli Filho é condenado por duplo homicídio pelo Tribunal do Júri