A Praça Santos Andrade, no Centro, terá amanhã, das 8h30 às 17h30, vários estandes para atender mulheres vítimas de violência. No Dia de Mobilização pelos Direitos da Mulher, haverá postos avançados das delegacias especializadas , juizados e varas, defensorias, promotorias, psicólogas, assistentes sociais, sociólogas e educadoras, advogados, entre outros serviços gratuitos.

Será possível registrar denúncias e encaminhar o cumprimento de mandados judiciais. Salas específicas na Universidade Federal do Paraná (UFPR) serão usadas para atendimento reservado, se for o caso.

A ação é uma amostra do que será a Casa da Mulher Brasileira, que deve ser construída, pelo governo federal, ainda este ano. O Dia de Mobilização resulta de esforços do Tribunal de Justiça, de secretarias do Governo do Estado, secretarias municipais, Universidade Federal do Paraná, Defensoria Pública, com apoio do Ministério Público do Paraná, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PR), da Unibrasil e da Itaipu Binacional.