Um laptop doado é igual a um novo negócio Digital. Esse é o mote da campanha criada pelo grupo Tech Girls, que pretende ajudar pequenas empreendedoras que dependem dos clientes para dar continuidade nos negócios. Com a crise do coronavírus as empreendedoras foram diretamente atingidas e muitas estão aprendendo agora como realizar suas vendas pela internet. Mas como fazer isso sem um computador?

O objetivo da campanha é que estes equipamentos, após serem reformatados e recuperados, sejam entregues para as alunas do Tech Girls, que estão dedicadas no aprendizado do comércio digital. Dessa forma, elas ganham condições de colocar em prática seus negócios digitais e venderem pela internet.

+Leia mais! Curitibano fatura prêmio da Lotofácil 1976. Aposta foi feita no Pinheirinho

“Segundo pesquisa do Comitê Gestor de Internet do Brasil, em 2018, apenas 5% da população brasileira da classe D e E possuíam computador portátil ou computador de mesa. Portanto é uma realidade muito distante para 40% da população que possui como atividade profissional a informalidade, e que não possuem, muitas vezes, nem conexão da internet”, disse Gisele Lasserre, idealizadora da campanha e fundadora Grupo social Tech Girls.

Os computadores recebidos estão sendo entregues de acordo com critérios. Recebem primeiro as mulheres com melhores desempenho no curso de tecnologia. Uma das que já recebeu o laptop foi a profissional de estética Maria de Fatima Meirelles, que através das aulas, criou sua agenda online para iniciar seu atendimento nas casas das clientes. Antes da pandemia, ela atendia as clientes em clínicas de estéticas e a agenda dela era administrada pela recepcionista do local.

+Leia mais! Detran alerta para site que promove golpes citando leilões de veículos

Uma das doadoras foi a analista de sistemas Geovana Conti, coordenadora de um outro projeto social, a Youngers, que oferece soluções para a geração de renda com foco em juventude, além de um coworking social, localizado na Vila Torres, em Curitiba. “Precisamos incentivar a empatia e a solidariedade para que este espírito permaneça. Essas mulheres precisaram aprender a reinventar seus negócios de uma hora para outra e precisam do nosso apoio”, diz Geovana.

Aulas para as empreendedoras

Além dos computadores, as microempreendedoras e autônomas estão recebendo aulas gratuitas de tecnologia de forma online, com o objetivo de digitalizar seus negócios. Antes da pandemia, as aulas eram realizadas presencialmente em centros comunitários e associações de bairros. São alunas na faixa de 25 a 50 anos, moradoras da periferia de Curitiba e Região Metropolitana.

Como ajudar?

Os equipamentos são recolhidos pelo projeto na residência. Para se cadastrar para doar, basta acessar o link.


Precisamos do seu apoio neste momento!

Este conteúdo te ajudou? Curtiu a forma que está apresentado? Bem, se você chegou até aqui acredito que ficou bacana, né?

Neste cenário de pandemia, nós da Tribuna intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise. Bora ajudar?

Ao contribuir com a Tribuna, você ajuda a transformar vidas, como estas

– Pai vende vende 1000 bilhetes de rifa com a ajuda da Tribuna pra salvar o filho
– Leitores da Tribuna fazem doação de “estoque” de fraldas para quíntuplos
– Leitores se unem para ajudar catadora de papel de 72 anos

E tem várias outras aqui!

Se você já está convencido do valor de sua ajuda, clique no botão abaixo