enkontra.com
Fechar busca

Curitiba e Região

Projeto de lei

Aumento do ISS pode “quebrar” planos de saúde, dizem as operadoras

  • Por Redação
Foto: Arquivo

O projeto de lei que prevê o aumento da arrecadação do imposto municipal ISS – o Imposto sobre Serviço – discutido e aprovado pelos vereadores de Curitiba na manhã desta segunda-feira (4), pode “quebrar” os planos de saúde, é o que afirmam entidades que representam o setor.

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge PR/SC) Cadri Massuda, se esta lei for sancionada, as consequências imediatas serão o aumento do custo plano de saúde para o consumidor e a inviabilidade financeira para as empresas de saúde de pequeno e médio porte.

“Hoje, com a lucratividade do setor abaixo dos 4%, esse aumento do imposto municipal fará com que muitas operadoras trabalhem no negativo. Todas as empresas sentirão o impacto. Mas para muitas empresas menores isso pode ser fatal e imediato”, opina Massuda.

Impacto

De acordo com a Abramge PR/SC, hoje a alíquota cobrada é de 2% da diferença de sinistro (receita e gasto) e a proposta apresentada sugere o aumento para valores entre 2% e 4% sobre o resultado. Para a entidade, isso significa que o imposto cobrado irá passar de 0,16% para até 4%, chegando a um aumento real de 2.500% em relação ao valor atual.

Com este cenário, para o presidente da entidade, a estimativa é que o valor dos planos de saúde repassado ao consumidor aumente em cerca de 10%. “O resultado será mais uma debandada dos planos de saúde, pela impossibilidade dos segurados arcarem com mais esse aumento”, ressalta Massuda, que ainda lembra que a saída da saúde privada acarreta a migração para o já inflado SUS – Serviço Único de Saúde.

Ainda segundo Massuda o impacto desse possível aumento para o setor de saúde privada e pública do país exige discussão aprofundada, já que as operadoras de saúde trabalham hoje com uma taxa de sinistro entre 82% e 84%, além da taxa administrativa, que varia entre 10% a 14%. “Estamos falando de um resultado operacional de 1% a 4% de resultado, que não suporta o aumento proposto. Esse reajuste será um ‘tiro no pé’ para a área da saúde”.

Projeto de lei

A Câmara de Curitiba aprovou por unanimidade na manhã desta terça-feira o projeto de lei enviado pelo prefeito Rafael Greca (PMN) que adequa o Código Tributário Municipal às mudanças feitas na legislação federal em 2016. A principal alteração é a adoção de uma alíquota mínima de 2% no Imposto Sobre Serviços (ISS).

A adequação às mudanças da legislação faz parte de um pacote de alterações que o Executivo está fazendo no ISS. Na semana que vem será analisada pelo plenário o aumento da alíquota para determinados tipos de serviço – como os planos de saúde – e a redução de outros, como feiras e congressos. Na sessão desta segunda, os vereadores aprovaram um requerimento para que essas mudanças tramitem em regime de urgência.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

5 Comentários em "Aumento do ISS pode “quebrar” planos de saúde, dizem as operadoras"


Inversão de Valores
Inversão de Valores
8 meses 13 dias atrás

Karl Marx dizia que a propriedade deveria ser estatizada progressivamente e lentamente através da taxação progressiva. Isto é, aumentar imposto, aumentar imposto, aumentar imposto, aumentar imposto e isto vai estrangulando os caras e transformando os empresários cada vez mais em escravos do governo.

Cesar
Cesar
8 meses 13 dias atrás

Para criar prosperidade em uma nação existe solução: privatiza tudo e baixa os impostos !
Fórmula infalível para criar um povo próspero .
Exemplos recentes recebidos dos vizinhos Chile e Paraguay . No Brasil, enquanto isso …

Barreto
Barreto
8 meses 13 dias atrás

E mais impostos para as empresas! Estamos perdidos!!!

Exterminador Leo
Exterminador Leo
8 meses 13 dias atrás

Pior é que a gente nunca sabe quem está falando a verdade. Com ou sem o aumento do ISS já somos roubados todos os anos com aumentos bem acima da inflação, autorizados pelo órgão regulador $$$. Mas estes vereadores de Curitiba são muito “sahlanac” mesmo. Vendidos até a alma. Dá lhe Jesus, né?

fernando
fernando
8 meses 13 dias atrás

Por isso que nao da para em tudo ou em nada do que falam, muito menos nesses politicos. Tanta mentira que nao se sabe se estao falando a verdade.

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas