Quatro suspeito de integrar uma quadrilha de assaltantes foram presos depois de manter a família do dono de uma churrascaria refém por quase seis horas entre a noite de domingo e a madrugada de ontem, em Fazenda Rio Grande. Como o empresário não tinha dinheiro na casa, combinou um local para entregar R$ 10 mil aos bandidos às 10h de ontem, quando ocorreram as primeiras prisões.

Policiais militares da Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone) prenderam os primos Jair Cardoso de Oliveira, 56 anos, e Adroaldo Cardoso de Souza, 52, no momento em que pegavam o malote, na Rua Francisco Derosso, embaixo do viaduto do Xaxim. Mouzar Luiz Oliveira Lopes, 38, e Josiel dos Santos, 21, foram detidos em Colombo. A polícia procura por Rodrigo Ribeiro Pinto Mineiro, 26, que fugiu com a caminhonete da vítima e uma arma de fogo.

Disfarce

Com a quadrilha, foram apreendidos dois veículos, dois revólveres calibre 38, além de aparelhos de televisão LCD, um violão, raquetes de tênis, uniforme dos Correios, cartuchos de calibre 12, colete à prova de bala, balaclava e até placas de consulados.

De acordo com o soldado Peres, da Rone, a quadrilha esperou a churrascaria fechar e, por volta das 23h, dominou o proprietário e a família dele, incluindo uma criança, menor de 5 anos. As vítimas foram trancadas num cômodo da residência, atrás do restaurante. O empresário negociou a entrega do dinheiro e o bando foi embora por volta das 5h, mas ameaçou voltar e matar a criança. “Eles disseram que iam colocar a cabeça dela numa bandeja caso o dinheiro não fosse entregue”, relatou o soldado.

Apreensões

A polícia já tinha informações sobre o grupo, levantadas pelo Serviço de Inteligência da PM. Na residência de Adroaldo, no bairro Fanny, foram encontrados objetos roubados e um Corsa Sedan branco, roubado sábado, no Capão Raso. Com Josiel, foi apreendido um revólver calibre 38. Mouzar estava com um notebook e dinheiro. Além dos R$ 10 mil do malote, a polícia recuperou mais R$ 2.300 em dinheiro. “A prioridade deles era roubar veículos encomendados. Eles preferiam levar carros de casas para, de quebra, ficar com os pertences das residências”, contou o soldado.

Segundo a polícia, Adroaldo, apontado como chefe da quadrilha, já respondeu inquérito por posse ilegal de arma, roubos e homicídio; Mouzar é foragido da Colônia Penal Agrícola (CPA) e Josiel tinha mandado de prisão por roubo. Os quatro foram encaminhados à Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV).