A aposentada Benedita da Aparecida de Souza, 68 anos, apresentou-se na tarde de ontem na delegacia de Piraquara acompanhada de um advogado. Na noite de domingo, para defender-se do ataque do marido, Antônio Rill Fernandes, 52, pegou a machadinha que ele deixou cair e o matou com um golpe no pescoço. Ela foi ouvida, confessou que agiu em legítima defesa e foi liberada.

O crime aconteceu na casa onde eles moravam há nove anos, na Rua Barão do Cerro Azul, no centro do município. Quando o corpo foi achado, cogitou-se que a arma usada tinha sido uma faca.

Durante o depoimento, a mulher, visivelmente abalada, não falou uma palavra e todas as informações foram prestadas pelo advogado. Ele contou que ela era agredida e ameaçada com freqüência.

Tortura

Ela também sofria tortura psicológica, pois o marido deixava a machadinha, ainda sem uso, pendurada atrás da porta de entrada da casa e, sempre que discutiam, dizia que ele iria usá-la pela primeira vez, para matar a esposa.

Segundo o advogado, na noite de domingo Antônio chegou em casa muito bêbado. O casal discutiu e ele tentou pegar a machadinha, mas a arma caiu de sua mão. Benedita foi mais rápida, pegou a ferramenta e o acertou no pescoço.

A mulher fugiu e ficou na casa de alguns conhecidos até a tarde de ontem, quando foi à delegacia confessar o crime. Como ela agiu em legítima defesa e se apresentou depois do período do flagrante, foi indiciada em inquérito policial, e liberada.