Quinze linhas de ônibus passam a operar com 100% da frota para cumprir o decreto municipal de lotação máxima 50% de passageiros como forma de evitar aglomerações na pandemia de coronavírus em Curitiba. São linhas alimentadoras e diretas que registraram maior movimento nas últimas semanas.

Passam a circular com frota completa os ônibus das linhas diretas 506 – Bairro Novo e 508 – Sítio Cercado (anti-horário), e as alimentadoras 515 – Iguape II, 528 – Boqueirão/Pinheirinho, 531 – Sta. Inês e 548 – Osternak/S. Cercado. Serão beneficiadas as regiões do Boqueirão e Sitio Cercado.

LEIA MAIS – “Em duas semanas não teremos mais leitos”, diz infectologista da prefeitura sobre pandemia em Curitiba

Segunda-feira (22) voltam a operar com 100% da frota as linhas das regiões Pinheirinho, Tatuquara, Capão Raso e CIC. Entram nesta lista as linhas alimentadoras 617 – JD. Ludovica, 646 – Pompéia/Janaína, 650 – Sta.Rita/Pinheirinho, 658 – C.Raso/Caiuá, 659 – Caximba/Olaria, 680 – Rurbana, 684 – Rio Bonito, 685 – Rio Bonito/CIC e 772 – Tupy/Juliana.

Segundo o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto, o monitoramento do comportamento das linhas é permanente e novos ajustes poderão ser feitos.

Ônibus na pandemia – Tribuna foi ao Terminal Santa Cândida ver se os ônibus estão conseguindo circular com apenas 50% de ocupação dos passageiros.

Posted by Tribuna do Paraná on Wednesday, June 17, 2020

Ônibus preocupam

Segunda-feira (15), o secretário estadual de Saúde, Beto Preto, demonstrou preocupação com os ônibus lotados não só na capital. Em entrevista ao jornal Meio-Dia Paraná, da RPC, em que confirmou que o governo do estado avalia a possibilidade de adotar lockdown em algumas regiõesfechamento completo, ficando aberto apenas serviços essenciais, Beto Preto cobrou uma solução para os ônibus lotados.

“Tomamos a medida de manter as aulas interrompidas e temos ônibus com lotação acima do normal”, disse o secretário em entrevista ao jornal Meio-Dia Paraná da RPC. “Temos o esforço de muitos paranaenses com seus filhos sem aula, mas ao mesmo tempo as pessoas continuam se aglomerando em horário de pico no transporte, com os ônibus muitas vezes com o número maior de passageiros que deveria ter”, finalizou Beto Preto.

Desde segunda-feira, os ônibus de Curitiba circulam com 50% da capacidade de lotação. As linhas expressa e ligeirinho devem sair dos terminais com 30% da capacidade para ao longo do trajeto alcançar 50%.

A determinação é para manter o distanciamento entre os passageiros e evitar a propagação do novo coronavírus, que se acelerou nas últimas semanas. De acordo com boletim epidemiológico de terça-feira (16), Curitiba alcançou ocupação de 85% dos leitos de coronavírus.

VIU ESSA? – Paraná avalia lockdown regional após aumento de 354% nos casos de covid-19

“É urgente que a população as tome as medidas de prevenção. Senão, em duas semanas não teremos mais leitos para internamento”, alerta a médica epidemiologista Marion Burguer da Secretaria Municipal de Saúde.

Passageiros dos grupos de risco (idosos, pessoas com enfermidades pré-existentes como diabetes, pressão alta, com doenças respiratórias, em tratamento de câncer, etc) e só devem utilizar o sistema de transporte em caso real de necessidade e de preferência fora do horário de pico.


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?