O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), sub-relator da CPI dos Sanguessugas, informou que existem vários indícios de irregularidades nas licitações para a compra de ônibus do programa de inclusão digital com recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), ligada ao Ministério da Ciência e Tecnologia. Ele levantou suspeitas sobre a atuação do PSB à frente da pasta. Para o deputado, o partido usou a inclusão digital como uma extensão da luta partidária. "Estou tentando mostrar como um partido se apossou de um ministério e o transformou em um ministério de compadres", afirmou Gabeira.

Ele disse que pretende pedir a convocação de Rodrigo Rolemberg, ex-secretário de Inclusão Digital do Ministério e candidato a deputado federal pelo PSB do Distrito Federal. Disse também que posteriormente poderão ser convocados os ex-ministros Eduardo Campos e Roberto Amaral – ambos do PSB – para dar explicações sobre o caso.

Os ônibus para o programa de inclusão digital foram comprados da empresa pernambucana KM por R$ 4,2 milhões. A KM fez um protótipo do ônibus equipado com computadores e ofereceu ao governo de Alagoas, estado governado por Ronaldo Lessa, do PSB. Depois, a KM expandiu suas atividades. Gabeira disse ter imagens de que quatro ônibus.