Mais de duas mil crianças e adolescentes saíram na tarde desta terça-feira (28) pelas ruas de Curitiba para pedir pelo futuro do planeta. Cantando o Samba pela Vida, o grupo Jovens pelas Florestas se concentrou em frente ao Centro de Convenções Embratel, no Shopping Estação, onde está sendo realizada a reunião do Segmento Ministerial da 8ª Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica (COP-8).

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, participou do ato público, ao lado de sua filha, Moara Silva Vaz de Lima, e de outras autoridades. Marina Silva elogiou o interesse das crianças em defesa da natureza, considerando o ato um encontro de gerações preocupadas com o futuro. ?Se não cuidarmos agora é possível que o processo de destruição das nossas florestas, da nossa biodiversidade seja tão terrível que vai comprometer o futuro daquelas gerações que ainda nem nasceram. Não temos esse direito de causar prejuízos?, ressaltou.

Em seu discurso, Marina Silva lembrou o projeto de lei de Mata Atlântica, que tramita no Congresso há 14 anos, e pediu urgência pela sua aprovação. A manifestação, organizada pelo Greenpeace, teve a finalidade de chamar a atenção de representantes de governos dos países participantes da COP-8 para a necessidade de se proteger as florestas e oceanos.

A ministra falou também aos trabalhadores sem-terra que realizavam manifestação contra os transgênicos e as sementes ?terminator?. Ela lembrou que os pequenos agricultores prestam um grande serviço à proteção da agrobiodiversidade. ?Muitos dos acordos que estamos fazendo na Convenção é para viabilizar na prática o que essas comunidades secularmente já fazem?, acrescentou.