O ministro interino da Fazenda, Bernard Appy, disse hoje que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) é resultado do rigor da política econômica do governo em 2003. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje um crescimento de 2,7% do PIB, no primeiro trimestre deste ano, na comparação com igual período de 2003, e de 1,6% na comparação com o último trimestre do ano passado.

Appy afirmou que o governo mantém a meta de crescimento de 3,5% da economia para este ano. ?Para acelerar o crescimento, estamos trabalhando com a agenda macroeconomia, redução das taxas de juros e com a agenda microeconomia de estímulo ao empreendedorismo?, afirmou.

Para Appy, as crises externas, como a alta do petróleo, não devem afetar o crescimento do país. ?Se o preço do petróleo se estabilizar em um nível muito alto, isso será repassado para o consumidor. Mas de forma alguma irá afetar a trajetória de crescimento da economia, pois o Brasil tem como absorver os choques de custos?, argumentou.

Segundo o ministro interino, no segundo semestre de 2003, o Brasil passou por um processo de aumento de liberação de crédito, crescimento das exportações e importações e recuperação do consumo das famílias.