O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,6% registrado no primeiro trimestre deste ano, comparado ao último do ano passado, confirma a manutenção da recuperação gradual da atividade iniciada no segundo semestre de 2003. A avaliação está contida em nota divulgada hoje pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

De acordo com a nota, o resultado corresponde às expectativas da entidade, que não reviu a previsão de crescimento para este ano. ?A CNI continua esperando um aumento de 3,5% a 4% da produção industrial e algo em torno de 3% para o PIB, conforme divulgado no Informe Conjuntural da entidade referentes ao primeiro trimestre?, diz a nota.

Na nota, a CNI destaca ?o bom desempenho da indústria de transformação, que apresentou um crescimento de 6,0% comparado a igual trimestre do ano passado?. Para a entidade, o fator que tem estimulado o aumento da produção é o aquecimento da demanda externa, representado pelo crescimento médio trimestral de 5,6%, ou 24% anuais.

A nota informa que os técnicos da CNI consideram que não se pode imaginar um crescimento robusto do PIB se o consumo das famílias se mantiver estagnado. ?O crescimento sustentado do PIB só ocorrerá a partir da recuperação da renda e do emprego, que dependem, por sua vez, do desempenho do investimento?, conclui.