O ritmo forte do crescimento da produção industrial brasileira em 2007, um dos fatores que ajudou o Produto Interno Bruto (PIB) a crescer 5,4%, que prosseguiu acelerado nos primeiro bimestre robustece o entusiasmo dos dirigentes da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Estimulado pelo aquecimento da demanda interna puxada pelo crescimento da massa salarial, maior volume de crédito ao consumidor e até pelo aumento dos gastos públicos federais em infra-estrutura, o setor industrial espera continuar obtendo resultados expressivos no exercício atual.

Segundo a CNI, as taxas anuais de crescimento foram as mais altas dos últimos três anos, dentre as quais os destaques foram a intensidade e regularidade do uso da capacidade instalada, fatores que contribuíram para a expansão do número de horas trabalhadas, estabilidade no emprego e elevação do faturamento. Somente em janeiro, o faturamento da indústria cresceu 10,5%, registrando a maior variação desde agosto de 2004.

O item destacado das vendas industriais em janeiro foi o de veículos automotores, que responderam por um terço do crescimento do setor no período. Na seqüência aparecem alimentos, bebidas, máquinas e equipamentos, que em conjunto foram os responsáveis pelos outros dois terços. No sentido oposto, isto é, as quedas de produção foram anotadas na indústria química, além de coque e refino de petróleo, madeira, couro e calçados.

Em janeiro, a oferta de empregos na indústria aumentou 5,2% em comparação com o primeiro mês de 2007, a maior taxa de crescimento dos últimos três anos, sendo que a massa salarial, segundo informações da CNI, teve um aumento real de 7,5%.

Os setores que mais contribuíram para esses avanços foram os mesmos que, na inauguração de uma tendência classificada pelos analistas como de perfil duradouro ? o esperado ciclo virtuoso da economia ? alcançaram os maiores aumentos de produção e faturamento.

O vigor dos números atuais indica que a tendência consolidada da indústria é continuar crescendo em 2008, contratando maior número de trabalhadores e, o que é mais estimulante, pagando melhor.