A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Sanguessugas será instalada em instantes. Integrada por 17 deputados e 17 senadores, a comissão terá prazo de 60 dias para concluir as investigações sobre o esquema de fraude em licitações para a compra de ambulâncias superfaturadas por prefeituras. Dezenas de parlamentares são acusados de participar do esquema, utilizando indevidamente emendas ao Orçamento. A chamada máfia das ambulâncias foi descoberta pela Operação Sanguessuga, da Polícia Federal.

A comissão será presidida pelo deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), indicado pelo líder do PT na Câmara, deputado Henrique Fontana (RS). A relatoria deve ficar com o senador Wellington Salgado (PMDB-MG). Os nomes do presidente e o do relator serão anunciados oficialmente depois da instalação da comissão. A primeira reunião será presidida pelo senador Romeu Tuma (PFL-SP), o mais idoso dos integrantes.